Notícias

25º Cine PE anuncia filmes selecionados

Foi anunciada hoje a lista dos filmes em competição do próximo Cine PE, a ser realizado entre os próximos 23 e 26 de novembro. No aniversário de 25 anos festival, a grande notícia é seu reencontro com o público, no formato presencial. E dessa vez as novidades não param, porque a sede oficial das exibições mudou para o centenário Teatro do Parque, o primeiro teatro da cidade a ser equipado para receber filmes sonoros. Recém reformado após 10 anos, a mudança de lugar trará um sabor de novidade a esse reencontro tão esperado, de um festival tão afetuoso com seu publico.

A seleção oficial também terá novidades em sua exibição, que serão divididas entre curtas à tarde e longas à noite, a partir de respectivamente às 14h e às 19h. Assim, dois longas serão exibidos a cada noite, sem tornar as sessões muito extensas; ganham os curta metragens, que agora tem um horário especial e só seu, e ganham os longas, que não serão sacrificados nem terão o cansaço contra si.

Seis estados diferentes foram contemplados na seleção de longas, do Sudeste, Nordeste e Sul. Já entre os curtas, todas as regiões foram representadas, em um total de 15 estados. Serão 6 longas e 23 curtas na competição nacional, além de 9 curtas na seleção local. Entre os títulos, teremos o consagrado Deserto Particular, de Aly Muritiba, premiado no Festival de Veneza e escolhido como representante brasileiro na vaga para o Oscar 2022 em filme internacional.

Apoie o Cenas

Foram quase 680 seleções inscritas, onde São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco tiveram os maiores números de inscrições. Serão 3 documentários e 3 ficções entre os longas, em produções do Paraná, Mina Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco e Bahia. Tratam esse filmes de diferentes temáticas, diferentes gêneros, que podem englobar desde racismo até transformações urbanas e heranças culturais.

O 25º Cine PE contará com todos os protocolos exigidos para a segurança contra a COVID-19, tais como apresentação de cartões de vacinação e máscaras durante as sessões, além de um público reduzido para o máximo de 500 pessoas em cada sessão, o que garantirá a tranquilidade dos eventos e a possibilidade desse reencontro ser muito mais prazeroso, em meio a títulos surpreendentes escolhidos pelos curadores Edu Fernandes e Nayara Reynaud.

Aqui são eles:

LONGAS
Os ossos da saudade, de Marcos Pimentel (MG)
Ainda estou vivo, de André Bomfim (SP)
Muribeca, de Alcione Ferreira e Camilo Soares (PE)
Lima Barreto ao terceiro dia, de Luiz Antônio Pilar (RJ)
Receba!, de Pedro Perazzo e Rodrigo Luna (BA)
Deserto Particular, de Aly Muritiba (PR)

CURTAS PERNAMBUCANOS
Portas, de Báw Pernambuco
Pedra de Caboclo, de Heleno Florentino
Entremarés, de Anna Andrade
Cannabis Medicinal no Brasil: A Guerra pelo acesso, de Rhute Tertuliano
Dona Dóra. A mística do boi, de Adalberto Oliveira
Inocentes, de Pedro Ferreira
O caminho das águas, de Antonio Fargoni e Karla Ferreira
Playlist, de Pedro Melo
Terceiro Andar, de Deuilton B. Júnior

CURTAS NACIONAIS
As Novas Aventuras do Kaiser (RJ), de Marcos Magalhães
Aurora – A Rua que queria ser um rio (SP), de Radhi Meron
Prazer da Solidão (ES), de Francielli Noya e Wolmyr Alcantara
Retina (PA), de Victor Rosalino
ALÊ – Resistir Pela Existência (GO), de Vincent Gielen
Áurea (BA), de Hewelin Fernandes
Bloco do Isolamento (PE), de Daniel Barros
Coleção Preciosa (BA), de Rayssa Coelho, Filipe Gama
Corpo Mudo (RS), de Marcela Schild
Debaixo do guarda-chuva pra ser resistência (SP), de Vini Poffo
Janelas Daqui (RJ), de Luciano Vidigal, Arthur Sherman
O Resto (MG), de Pedro Gonçalves Ribeiro
Pega-se Facção (PE), de Thaís Braga
Utopia (AP), de Rayane Penha
À Beira do Gatilho (AM), de Lucas Martins
A Conta-Gotas (SP), de Renata Jesion
Algoritmo (DF), de Thiago Foresti
Angustura (PE), de Caio Sales
Nada de bom acontece depois dos 30 (RJ), de Lucas Vasconcelos
Pausa Para o Café (PR), de Tamiris Tertuliano
Sonho de Verão (RJ), de Luan Dias
Time de Dois (RN), de André Santos
Vizinhança (ES), de Lucas Carvalho

Mais informações sobre o 25º Cine PE em breve no site do evento.

Francisco Carbone

Jornalista, crítico de cinema por acaso, amante da sala escura por opção; um cara que não consegue se decidir entre Limite e "Os Saltimbancos Trapalhões", entre Sharon Stone e Marisa Paredes... porque escolheu o Cinema.
Botão Voltar ao topo