Festivais e mostras

38º Festival de Gramado: Vencedores

Aconteceu hoje, dia 14, a cerimônia de encerramento e premiação da 38ª edição do Festival de Cinema de Gramado. Com três kikitos, de melhor filme, direção e ator (Caio Blat), o longa Bróder, de Jeferson De, foi o grande vencedor da noite.

Não Se Pode Viver Sem Amor, de Jorge Durán, levou os kikitos de melhor atriz (Simone Spoladore), roteiro (Dani Patarra e Jorge Durán) e fotografia (Luis Abramo).

O prêmio de Melhor Filme Estrangeiro foi para Mi Vida Con Carlos, de Germán Berger-Hertz. Entre os curtas nacionais, o grande vencedor foi Carreto, de Cláduio Marques e Marilia Hughes.

O júri popular escolheu 180º, de Eduardo Vaisman, e Ratão, de Santiago Dellape, como melhor longa e curta nacionais, respectivamente. Já a crítica escolheu, como vencedores, Diário de uma Busca e Babás.

Confira abaixo a lista completa de vencedores:

Júri Oficial – longa-metragem nacional

Melhor filme: “Bróder”, de Jeferson De
Prêmio especial do júri: “O último romance de Balzac”, de Geraldo Sarno
Melhor diretor: Jeferson De, por “Bróder”
Melhor ator: Caio Blat, por “Bróder”
Melhor atriz: Simone Spoladore, por “Não se pode viver sem amor”
Melhor roteiro: Dani Patarra e Jorge Durán, por “Não se pode viver sem amor”
Melhor fotografia: Luis Abramo, por “Não se pode viver sem amor”

Júri Oficial – longa-metragem estrangeiro

Melhor filme: “Mi vida com Carlos”, de Germán Berger-Hertz
Prêmio especial do júri: “La yuma”, por Florence Jaugey
Melhor diretor: Nicolas Pereda, por “Perpetuum mobile”
Melhor ator: Gabino Rodriguez, por “Perpetuum mobile” e Martin Piroyansky, por “La vieja de atrás”
Melhor atriz: Alma Blanco, por “La yuma”
Melhor roteiro: Pablo Meza, por “La vieja de atrás”
Melhor fotografia: Miguel Littin, por “Mi vida com Carlos”

Juri Oficial – curta-metragem

Melhor filme: “Carreto”, de Cláduio Marques e Marilia Hughes
Melhor direção: Rodrigo Grota, por “Haruo Ohara”
Prêmio especial do júri: “Os anjos do meio da praça”, de Alê Camargo e Camila Carrossine
Melhor ator: Flávio Bauraqui, por “Ninjas”
Melhor atriz: Elisa Volpatto, por “Um animal menor”
Melhor roteiro: Cláudio Marques e Marilia Hughes, por “Carreto”
Melhor fotografia: Carlos Ebert, por “Haruo Ohara”

Prêmio da crítica

Melhor longa-metragem nacional: “Diário de uma busca”, de Flávia Castro
Melhor longa-metragem latino: “El vuelco de cangrejo”, de Oscar Ruiz Navia
Melhor curta-metragem nacional: “Babás”, de Consuelo Lins
Prêmio aquisição do Canal Brasil (curta-metragem): “Haruo Ohara”, de Rodrigo Grota

Júri Popular

Melhor filme nacional: “180º”, de Eduardo Vaisman
Melhor filme estrangeiro: “Mi vida con Carlos”, de Germán Berger-Hertz
Melhor filme curta-metragem: “Ratão”, de Santiago Dellape

Troféu Cidade de Gramado -longa-metragem

Melhor filme: “Diário de uma busca”, de Flávia Castro
Melhor filme nacional: “Terra deu, terra come”, de Rodrigo Siqueira
Melhor montagem: Quito Ribeiro e Jeferson De, por “Bróder”
Melhor trilha musical: João Marcelo Bôscoli e Jeferson De, por “Bróder”, e John Ulhoa, Wilson Suroski, Rubens Jacobina e Diamantino Feijó, por “Ponto org”
Melhor direção de arte: Ana Dominoni, por “O último romance de Balzac”
Melhor filme estrangeiro: “El vuelco de cangrejo”, de Oscar Ruiz Navilla

Troféu Cidade de Gramado – curta-metragem

Melhor filme: “Haruo Ohara”, de Rodrigo Grota
Melhor direção de arte: Vicente Saldanha, por “Amigos bizarros de Ricardinho”
Melhor montagem: Paulo Sacramento, por “Ninjas”
Melhor trilha musical: “Amigos bizarros de Ricardinho”

Redação

O Cenas de Cinema é um veículo informal e divertido que tem como principal objetivo divulgar a sétima arte, com críticas, notícias, listas e matérias especiais

4 Comentários

  1. Bom, gostei em geral dos vencedores. Como estava no júri popular do festival, não poderia falar sobre filmes. Mas, agora que posso, digo que nenhum dos que venceram no popular, eram meus favoritos. Bróder, nos nacionais, é o único filme que realmente gostei. Nos estrangeiros, Mi Vida Con Carlos é ótimo também.

  2. Parabéns a toda equipe e as produtoras do curta “Ratão”. É Brasília premiada no festival de Gramado.

Botão Voltar ao topo