Série em Cenas

Amor, Morte & Robôs

(Love, Death & Robots, EUA, 2019)
  • Gênero: Animação
  • Criador: Tim Miller, David Fincher
  • Canal: Netflix
  • Temporadas: 2
  • Duração: 15 minutos

O medo do futuro é algo muito comum hoje em dia (dramática e infelizmente, amigos). O fato é que o medo não é exatamente do futuro, e sim de falhar ou fracassar diante dele (ou de sua expectativa sobre ele). Muitas vezes transferimos essa nossa ansiedade aos seres inanimados (que mesmo que lhe atribuímos inteligência), principalmente quando podem ser bons bodes-expiatórios para nossos erros maximizados. Amor, Morte & Robôs, série de curtas de animação da Netflix, nos traz diferentes emoções com esse fundo. 

Tim Miller e David Fincher (nomes de peso dos efeitos visuais e de enredos surpreendentes) contam em cada episódio uma historinha com um gênero diferentes. Usando monstros horríveis, criancinhas adoráveis, eletrônicos domésticos descontrolados e robôs inteligentes o suficiente para acariciar gatos para sempre.

Amor, Morte & Robôs

Amor, Morte & Robôs também surpreende com diferentes tipos de animações e efeitos especiais. De desenhos mais caricatos a produções que quase não reconhecemos o que há por trás daqueles pixels. E se achou surpreendente na ambição, pode acreditar que na entrega é muito mais: o pessoal juntou um grupo gigante de diretores e animadores para fazer isso com o intuito de dar uma impulsionada no gênero, ou seja, teve capricho!

Outra ousadia da série é como ela brinca com as diferentes perspectivas de mundo e das situações, sempre questionando o nosso papel destruidor, manipulador e controlador diante das coisas, além do nosso lado frágil e ridículo, então prepare-se para rir do ataque do aspirador robô ou da frustrante experiência dos amigos robôs com a bola de basquete.

Amor, Morte & Robôs

De uma forma brilhantemente artística e com enredos profundos, Amor, Morte & Robôs, mostra o quanto devemos temer pelo nosso futuro direcionando nossa ansiedade não para as máquinas, os monstros ou o universo pós-apocalíptico que poderíamos ter, mas para nossa insistência em sermos destrutivos demais com tudo. 

Deguste cada episódio apreciando os detalhes e se soltando para as emoções e sacadas que surgem. Apaixone-se pelos robozinhos lindos e corra o risco de sofrer de ansiedade em falhar com eles, enquanto descobre que há tempos estamos falhando com o que há por vir, porque estamos ocupados demais pensando à frente, enquanto estamos detonando no presente.

Melhor episódio
T02E08 – O Gigante Afogado

Série em Cenas

Soraya Lopes

Gerente de projeto, comunicadora e buscadora constante de um descanso para a cabeça é viciada em séries e qualquer bobagem de tv que envolva comida, decoração ou sobrevivência e não tem escrúpulos de se emocionar com estas coisas. Se empenha em estudar filosofia, sociologia, psicologia e outros temas que possibilitem entender cada vez mais as pessoas.
Botão Voltar ao topo