Crítica | StreamingFestival do Rio

Antes Que o Mundo Acabe

(Antes Que o Mundo Acabe, BRA, 2009)

Mudanças e descobertas fazem parte da vida de qualquer adolescente e é deste turbulento momento que Ana Luiza Azevedo trata em sua estréia na direção de longa-metragens, ao contar a história de Daniel, um hormonalmente revoltado morador de uma cidade pequena do Rio Grande do Sul.

Daniel mora com a mãe, o marido da mãe (que é como se fosse um pai para ele), a meia irmã e tem que aprender a lidar com a desilusão amorosa depois que sua namorada independente começa a gostar de seu melhor amigo, a culpa por ter incriminado o amigo de algo que ele praticou, a existência de um pai que nunca quis saber dele e depois de contrair malária resolve conhecê-lo melhor e a indecisão de um futuro que está chegando e só pode acontecer longe da sua pequena cidade.

Assistente de direção de longa data do diretor Jorge Furtado, Ana Luiza Azevedo traz muitas referências do diretor de Ilha das Flores em seu trabalho. A narração e o uso de imagens exteriores ao filme estão lá, mas logo nos primeiros momentos vemos que muita coisa é diferente também.

A primeira delas é a delicadeza com que a história é contada. Ao optar pelos olhos da fofíssima Maria Clara, a meia-irmã, para guiar o espectador e unir todos os acontecimentos, a diretora garante a ligação com o público que não larga o filme até o final.

Independente da narrativa utilizada, a história do filme, adaptada do excelente livro com mesmo nome de Marcelo Carneiro Cunha, também é responsável pelo sucesso do longa, assim como a escolha do elenco afinado.

Pedro Pergolina, que já tinha demonstrado uma intimidade boa com a câmera no curta Gol a Gol, volta muito bem como Daniel e, sem exageros, transmite os sentimentos e as aprontações de um adolescente comum nos dias de hoje. Mas é a pequena Carolina Guedes que toma conta do filme, deixando as cenas em que participa na memória de todos.

Simples e singelo, o filme emociona, faz rir e tem um bom ritmo, que só se perde quando um dos personagens secundários aparece mais do que deveria e com um discurso difícil de engolir.

Além de ganhar muitos pontos por ser um exemplar raro na produção infanto-juvenil de cinema nacional, é um excelente programa para toda família.

Um Grande Momento

Quando Daniel pede ajuda à Maria Clara depois de afogar as mágoas.

Drama
Direção: Ana Luíza Azevedo
Elenco: Pedro Tergolina, Caroline Guedes , Murilo Grossi , Janaína Kremer , Bianca Menti, Eduardo Moreira, Eduardo Cardoso
Roteiro: Marcelo Carneiro da Cunha (livro), Ana Luíza Azevedo, Paulo Halm, Giba Assis Brasil, Jorge Furtado
Duração: 97 min.
Minha nota: 9/10

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

5 Comentários

  1. Excelente filme! Sensível e humano. excelente fotografia e roteiro. Bela surpresa. Parabéns pelo blog!

  2. Não ouvi falar nem do filme e muito menos do livro. Mas o nome de Jorge Furtado entre os roteiristas me chamou a atenção.

  3. Nossa, é tão bom assim? Certamente fiquei curioso, ainda mais depois de ver o nome do Jorge Furtado entre os roteiristas.

  4. Poxa, este ai parece valer a pena procurar. Nunca tinha ouvido falar dele até então.

Botão Voltar ao topo