Crítica | StreamingSP Terror

Deixe Ela Entrar

(Låt den rätte komma in, SUE, 2008)

Desde que me foi apresentado pelo meu guru de cinema fantástico, Márcio ou Mago Paco, Deixe Ela Entrar, destaque no Festival do Rio e na Mostra de São Paulo, passou a ser um dos melhores filmes que eu vi nos últimos tempos.

Com um roteiro maravilhoso, cheio de diálogos sutis e inteligentes, o filme conta a história de um pré-adolescente ingênuo e indefeso e de sua relação com uma jovem vampira que muda-se para o apartamento ao lado do seu.

Adaptação do livro de mesmo nome de John Ajvide Lindqvist, que também escreveu o roteiro, o longa de Tomas Alfredson consegue fazer com que a delicadeza da relação das duas crianças conviva perfeitamenta com o que há de assustador e fascinante em toda história de vampiros. E traz às telas, depois de muito tempo, a personalidade complexa daqueles que precisam do sangue humano para sobreviver.

A dupla central de atores é um achado. Apesar da pouca idade, os dois conseguem compor muito bem seus personagens e fazem toda a diferença no resultado final. As outras participações, mesmo pequenas, também são muito boas e confirmam a capacidade de direção de atores de Alfredson, já demonstrada em Quatro Espectros do Assombro.

Um dos destaques do filme é a fotografia de Hoyte Van Hoytema, com quadros que também conseguem oscilar entre o macabro e o apaixonante. As cenas são precisas e fazem do filme uma daquelas experiências visuais inesquecíveis.

A trilha sonora de Johan Söderqvist também acompanha o bom andamento das outras áreas e torna tudo ainda mais emocionante.

Mesmo que tenha tantas qualidades, dois tropeços impedem que o filme seja perfeito. Cenas feitas especificamente para demonstrar um apuro técnico desnecessário, como a do fogo e a dos gatos, ficariam muito melhor se fossem apenas sugeridas.

Ainda assim o resultado é tão harmônico e eficiente que Deixe Ela Entrar conquista os mais diferentes tipos de público e está presente na lista de indicações de vários críticos de cinema e cinéfilos.

Um Grande Momento“Cheiro melhor agora?”

Próxima sessão: 1º/7, às 21h (sala 3)

Prêmios e indicações (as categorias premiadas estão em negrito)


Festival de Tribeca
: Melhor Narrativa

Links

Terror
Direção: Tomas Alfredson
Elenco: Kåre Hedebrant, Lina Leandersson, Per Ragnar, Henrik Dahl, Karin Bergquist, Peter Carlberg, Ike Nord, Mikael Rahm
Roteiro: John Ajvide Lindqvist
Duração: 115 min.
Minha nota: 9/10

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

7 Comentários

  1. Doido para ver esse filme. Tem previsão de estreia em circuito?

  2. Assisti este filme ao teu lado e realmente foi uma grande experiencia… lembra de mim…? Aliás, ontem fui ver Eden Log, mas não gostei tanto quanto desde (Deixe ela entrar), talvez fosse a falta da minha companhia. Beijão.
    Jean Paulo

  3. Estou super ansioso por "Deixe Ela Entrar", incrível como todo mundo fala bem desse filme – que, aliás, parece ser um dos melhores do gênero nos últimos anos.

  4. Estou doido para ver este filme, ninguém pára de falar na sua elevada qualidade!

  5. Eu te falei que o filme era muito bom.

    Esteve em minha lista de melhores do ano passado

  6. Um filmaço mesmo. Olha aí um 9 hehehehehe
    A cena na piscina já é clássica. Muito bem filmada. Que Crepúsculo o que!

Botão Voltar ao topo