Crítica | Streaming

Dog – A Aventura de Uma Vida

A melhor amiga

(Dog, EUA, 2022)
Nota  
  • Gênero: Comédia
  • Direção: Reid Carolin, Channing Tatum
  • Roteiro: Brett Rodriguez, Reid Carolin
  • Elenco: Channing Tatum, Ryder McLaughlin, Aavi Haas, Luke Forbes
  • Duração: 101 minutos

Em algum lugar entre K-9: Um Policial Bom pra Cachorro e Sniper Americano está Dog – A Aventura de uma Vida (mantendo a tradição de subtítulos horrorosos inclusive), uma das estreias da semana nos cinemas. Estrelando e ainda co-dirigindo o filme Channing Tatum traz toda a sua cara de bom moço e seu peitoral definido para derreter corações junto a Pastor Belga Lulu.

Despretensioso, às vezes bastante piegas e também bobo, esse filme conduzido por Tatum e o parceiro de vida Reid Carolin (diretor de Magic Mike) usa a metáfora do cão como o melhor amigo do homem para ajudar a superar as adversidades da vida, encontrando a serenidade.

A historinha trata de Briggs, um ex- Ranger, soldado de elite do exército americano, cheio de sequelas físicas e psicológicas após retornar do Afeganistão e ainda tendo que lidar com o desemprego e inadequação na sociedade. E aí todo aquele Rosário de desgraças é desfiado: ele tem uma filha que não vê há não sei quantos anos, meio que mora no carro, não consegue manter um relacionamento estável; a cadela Lulu também está num momento delicado da sua existência, tendo perdido o seu dono – colega de Briggs – e ficado agressiva e indomável desde então.

Apoie o Cenas

Ela deve comparecer ao velório de Riley sendo conduzida por Briggs, que depois irá deixá-la em uma unidade para tomar uma injeção letal. Claro que o trajeto muda à medida em que, no desenvolvimento da trama, a dupla de veteranos passa por situações cômicas e dramáticas, estabelece um vínculo e fica junto. Lulu ajuda o ex-soldado a lidar com seu estresse pós-traumático enquanto ele percebe que ela pode ser domesticada, se for tratada com acolhimento.

Por mais previsível que seja, Dog é uma boa distração, trazendo doses de serotonina muito bem-vindas para o contexto pavoroso no qual vivemos. Em entrevista de divulgação do filme, Tatum e Carolin assinalaram que esse filme é mais um rito de passagem da amizade deles, como foi com Magic Mike mas agora, aos 40 anos, ambos sentiram necessidade de trazer em uma trama questões existenciais, como aprender que deixar ir e aceitar as coisas que não se pode controlar. E em relação ao filme, entre percalços na estrada Dog se situa como uma jornada de transformação e aceitação do novo, com resiliência para viver da melhor forma possível.

Um grande momento
A passagem no deserto até o velório

Curte as críticas do Cenas? Apoie o site!

Lorenna Montenegro

Lorenna Montenegro é crítica de cinema, roteirista, jornalista cultural e produtora de conteúdo. É uma Elvira, o Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema e membro da Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA). Cursou Produção Audiovisual e ministra oficinas e cursos sobre crítica, história e estética do cinema.
Assinar
Notificar
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver comentário
Botão Voltar ao topo