Notícias

Monster Hunter na CCXP Worlds

O trailer da adaptação de Monster Hunter para o cinema foi exibido hoje (4) na CCXP Worlds em um painel com a atriz brasileira Nanda Costa, que faz uma participação especial no filme. Esse ano o evento acontece totalmente em ambiente virtual, e a conversa também contou com a presença remota da Milla Jovovich, do Diego Boneta e do diretor Paul W S Anderson, que falou um pouco de como foi a produção adaptada.

Na conversa, Nanda falou como foi diferente participar da superprodução do longa, muito diferente do que já havia feito como Sonhos Roubados e Salve Jorge. O cinema tem muitos exemplos de adaptações de jogos que não conseguiram conquistar o público, grande parte dessa característica vem das dificuldade de representar o game em uma tela de cinema. Com isso em mente, os criadores do jogo foram consultados durante a produção para garantir uma mesma mesma essência, como disse Anderson.

Um das grandes propostas de Monster Hunter é justamente a caça aos monstros, o que sempre foi forte e encorpado nos designs dos monstros e suas interações incríveis. O filme parece que segue a linha, os efeitos especiais e as cenas de ação podem compor em peso seu recheio. Uma das premissas da produção do filme, como apontado no painel, foi a de menor uso do chroma key, a famosa tela verde, que possibilita alguns dos efeitos especiais das telinhas. Muitas gravações foram feitas em cenários reais de grandes paisagens e locações fantásticas, com algum uso da técnica, principalmente para os monstros, mas com muitos efeitos analógicos.

Apoie o Cenas

Sem esquecer dos fãs do videogame, Monster Hunter pode ser um bom filme de monstros que traz para uma mídia diferente um universo já aclamado por muitos. Sem nenhuma expectativa para o que virá, o longa parece que também vai entreter a quem não joga com visuais incríveis e construir mais uma adaptação interessante.

CCXP Worlds: Monster Hunter

[CCXP Worlds]

Rodrigo Strieder

Quase publicitário, nerd, viciado em ficção científica, jogos e cinema, foi o primeiro participante do projeto Crítico Mirim do Cenas de Cinema. Depois de participar como jurado de festivais, arriscou suas primeiras linhas e segue até hoje escrevendo.
Botão Voltar ao topo