De 4 a 10 de agosto acontece em Fortaleza o 28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema. A seleção dos filmes selecionados para a Mostra Competitiva Ibero-Americana de Longa-metragem foi anunciada hoje.

Dentre os escolhidos estão três brasileiros. A estreia nacional é a ficção O Barco, de Petrus Cariry (Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois), sobre uma mulher de uma comunidade de pescadores no Ceará que tem 26 filhos e terá o destino alterado pela chegada de um barco e de uma mulher misteriosa. Eduardo Galeano Viramundo, de Felipe Nepomuceno; e Anjos de Ipanema, de Conceição Senna, fazem sua estreia mundial. O primeiro fala sobre o escritor uruguaio falecido em 2015, e o segundo conta a história do Pier de Ipanema, ícone da contracultura e do surf no Rio de Janeiro dos anos 70.

O grande destaque da 28ª edição é a coprodução Brasil, Portugal e França Diamantino, de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, vencedor do Grande Prêmio da Semana da Crítica no Festival de Cannes. O longa mostra um famoso jogador de futebol que ao ver sua carreira em declínio entra numa odisseia delirante em que confronta o neofascismo, se envolve com a crise de refugiados, modificação genética, até a busca pela origem da genialidade. O filme terá sua primeira exibição no Brasil durante o festival.

Diamantino, de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt

Também estão na disputa quatro longas que terão première nacional: o espanhol Petra, de Jaime Rosales, que teve sua estreia mundial na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, e o chileno Cabras de Merda, de Gonzalo Justiniano. Além de dois colombianos, a ficção Amália, a secretária, de Andrés Burgos, e o documentário Senhorita Maria, a saia da montanha, de Rubén Mendoza, que faz um retrato caloroso de um homem que cresceu se sentindo mulher na conservadora cidade de Boavita, Boyacá. O longa foi premiado nos festivais de Cartagena (direção), Locarno (Prêmio Zonta Club Semana da Crítica) e Amiens (melhor documentário).

Os vencedores na competitiva de longas receberão o troféu Mucuripe nas categorias Melhor Filme, Direção, Fotografia, Edição, Roteiro, Som, Trilha Sonora Original, Direção de Arte, Ator e Atriz. Convidado do festival, o jornalista Rodrigo Fonseca assina a curadoria dos longas junto a Margarita Hernández, coordenadora geral do Cine Ceará, e Wolney Oliveira, diretor do festival.

Posteriormente o Cine Ceará divulgará o resultado dos selecionados para a Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem, para a Mostra Olhar do Ceará, os filmes que terão exibição especial e a programação completa do festival. O 28º Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: M. Dias Branco, Banco do Nordeste e Café Santa Clara

Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem:

Amália, a secretária Andrés Burgos. Ficção. 103 min. Colômbia. 2017 (Première Nacional)
Anjos de Ipanema Conceição Senna. Documentário. 90 min. Brasil. 2018 (Première Mundial)
Cabras de merda Gonzalo Justiniano. Ficção. 118 min. Chile. 2017 (Première Nacional)
Diamantino. Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt. Ficção. 92 min. Brasil, Portugal, França. 2018 (Première Nacional)
Eduardo Galeano Viramundo Felipe Nepomuceno. Documentário. 72 min. Brasil. 2018 (Première Mundial)
O Barco Petrus Cariry. Ficção. 72 min. Brasil. 2018 (Première Nacional)
Petra Jaime Rosales. Ficção. 107 min. Espanha. 2018 (Première Nacional)
Senhorita Maria, a saia da montanha. Rubén Mendoza. Documentário. 90 min. Colômbia. 2017 (Première Nacional)

SERVIÇO
28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema
De 4 a 10 de agosto de 2018 em Fortaleza
Informações: www.cineceara.com