De 13 a 16 de setembro, a cidade de Pirenópolis recebe o 9º Slow Filme – Festival Internacional e Cultura Local. Com programação gratuita, o festival que acontecerá no Cine Pireneus cultua o cinema e a gastronomia alinhado a temas relevantes como sustentabilidade, diversidade e identidade dos povos, e terá como tema principal “Cozinha tem gênero?”

Criado pelas jornalistas e produtoras Gioconda Caputo e Carmem Moretzsohn, e pelo professor e crítico de cinema Sérgio Moriconi, responsável pela curadoria do evento, o festival busca refletir sobre questões da nossa contemporaneidade por meio do cinema. Neste ano, o foco está na participação da mulher na gastronomia. Dos 11 selecionados, três filmes abordam o tema, a partir de perspectivas diferentes. A produção francesa À procura de mulheres chefs registra a presença de mulheres que, nos quatro cantos do mundo, lideram cozinhas de prestigiados restaurantes, dão aulas e atuam como ativistas e sommeliers. Já do Japão vem Ama-san, sobre as mulheres que se dedicam ao mergulho no mar em apneia, para recolher moluscos, algas, pérolas que lhes garantem o sustento. Completa a seleção temática Soufra, coprodução Estados Unidos e Líbano, que apresenta uma empresa de food truck criada por mulheres num campo de refugiados ao sul de Beirute, oferecendo comidas tradicionais.

Meridiano do vinho, de Nana Jorjadze

Indo além da temática, mas saído das lentes de uma diretora, o Slow Food ainda trará pela primeira vez no Brasil o premiado Meridiano do vinho, de Nana Jorjadze, que mostra, de maneira divertida, o processo de mais de oito mil anos usado para a produção de vinho na Geórgia. A Itália, berço do Slow Food, será homenageada nesta edição. O longa Slow Food Story, que recupera a história do movimento e do homem que o criou, Carlo Petrini, será exibido logo na abertura do festival. Também entre os selecionados estão Sou eu que cozinho!, produção do movimento Slow Food Napoli, que promove uma viagem pelos sabores da cozinha tradicional napolitana através da atividade de cinco importantes chefs, e Lorello e Brunello, que acompanha um ano na vida de dois irmãos agricultores da Toscana, mostrando as dificuldades que enfrentam com a ação das grandes corporações no mercado de alimentação.

No programa ainda estão o austríaco A mentira verde, que desmascara a atividade de empresas que se dizem sustentáveis, mostrando como ludibriam as leis e os consumidores mundo afora; o francês A busca do chef Ducasse, que acompanha dois anos da vida do grande chef três estrelas que está em permanente atividade e criação; o australiano Churrasco, que mostra como essa comida se espalhou pelo mundo, transformando-se num ritual que une as pessoas, e o brasileiro Atum, Farofa & Spaguetti, que faz um convite a uma viagem pela riqueza e variedade da gastronomia nacional, através da vida de três chefs.

A programação acontece de quinta a domingo e, além da projeção de filmes, terá conversas com realizadores e especialistas, degustações gratuitas e a oficina “Comida e gênero: uma experiência sensorial”, ministrada pela antropóloga Kátia Karam e pela comunicóloga Heliane Carvalho, com a proposta de refletir sobre o papel das mulheres na produção de alimentos, trabalhando a memória afetiva. A oficina acontecerá dia 15 de setembro, às 10h, e tem 25 vagas. As inscrições podem ser feitas pelos e-mails [email protected] e [email protected].

A Mentira Verde, de Werner Boote

PROGRAMAÇÃO

QUINTA, 13 DE SETEMBRO
19h – Abertura oficial – Slow Food Story (74min)
Sessão seguida de degustação de cervejas artesanais, gentilmente cedidas pela marca Santa Dica

SEXTA, 14 DE SETEMBRO
16h – Ama-San (110min)
18h30 – À procura de mulheres chefs (90min)
20h30 – Meridiano do vinho (60min)
Sessão seguida de degustação de vinhos georgianos, gentilmente oferecidos pela Embaixada da República da Geórgia

SÁBADO, 15 DE SETEMBRO
15h – Lorello e Brunello (85min)
16h30 – A Mentira Verde (97min)
19h – Soufra (73min)
20h30 – Sou eu que cozinho! (54min)
Sessão seguida de degustação de vinhos e petiscos italianos, gentilmente oferecidos pela Embaixada da Itália

DOMINGO, 16 DE SETEMBRO
15h – A busca do chef Ducasse (84min)
16h30 – Atum, Farofa & Spaguetti (95min)
18h30 – Churrasco (102min)

O Slow Filme é realizado pela Objeto Sim Projetos Culturais e conta com apoio da Prefeitura de Pirenópolis, Secretaria Municipal de Cultura de Pirenópolis e UEG – Universidade Estadual de Goiás. A realização da 9ª edição está sendo possível graças à parceria com as Embaixadas da Itália, da República da Geórgia, de Portugal, da Austrália, da Áustria e da França; do Instituto Camões e do Instituto Francês, do Ateliê Filigrana, da Forneria Pireneus e dos Restaurantes Montserrat e Taki; das pousadas Tajupá, Divina Pousada, Templários, Abacateiro, Arvoredo e Ikabana; da MSound Estruturas e Eventos, da Valeriano Filho – Decór e Cerimonial, da Cervejaria Santa Dica, do Convivium Pirenópolis/Slow Food e de todos os que colaboraram com a Vakinha Online.

SERVIÇO
9º SLOW FILME – FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA, ALIMENTAÇÃO E CULTURA LOCAL
Data: 13 a 16 de setembro de 2018
Local: Cine Pireneus (Rua Direita, Pirenópolis, Goiás)
Horários: ver programação