estante

A Gruta

Visto no Cinema(A Gruta , BRA, 2008)

Terror

Direção: Filipe Gontijo

Elenco: Poliana Pieratti, Carlos Henrique, André Deca e o Porco (Dadinho, porco-ator)

Roteiro: Filipe Gontijo

Duração: de 5 a 40 min.

Minha nota: 8/10

Quando soube que existia um filme interativo, não parei de pensar “como assim?”. A primeira sessão aconteceu no Festival de Brasília e longe do cine Brasília, onde acompanharia a Mostra Competitiva 35mm, então não pude assistir.

Esta semana recebi um e-mail do Francisco Russo, do Adoro Cinema, falando de quatro exibições na quinta e na sexta-feira. Desta vez não podia perder, então me programei para conferir a última sessão, na sexta às 21h.

Com uma proposta totalmente inovadora, o filme é completamente interativo. Além de ter onze possibilidades de final, pode ter 30 momentos em que o espectador participa tomando decisões sobre o andamento da história. O resultado varia de acordo com as escolhas e faz com que o filme possa ter de cinco a 40 minutos de duração.

Super curiosa, ao chegar na fila resolvi puxar assunto com o casal da frente. Eles estavam indo para a terceira sessão e queriam ver um final diferente do que viram nas duas outras vezes. Segundo eles, muitas escolhas do público não foram as mesmas. “Na primeira, tinham mais homens e as escolhas foram mais arriscadas. Na segunda, com mais mulheres, as opções foram mais boazinhas”, disseram.

Claro que depois de receber o seu controle pela primeira vez, você já entra na sala excitado e doido para saber o que vai acontecer. Depois de uma rápida apresentação e de testes para ver como funciona o sistema de votação, a sessão começa.

O filme-jogo conta a história de um casal que vai passar uns dias em uma fazenda e conhece uma gruta perto da propriedade. Quem os leva até o local é um estranho caseiro e lá os dois encontram um porquinho. Depois da visita, muitas coisas estranhas começam a acontecer.

Na minha sessão, a maioria tomou algumas decisões que fizeram o filme acabar em cinco minutos. Com uma segunda chance, a coisa foi mais longe e toda a experiência foi muito divertida e diferente de tudo que eu já havia passado no cinema.

A idéia, genial, foi tirada dos antigos livros-jogos da década de 80, onde a história caminhava do jeito que o leitor escolhesse, pulando páginas ou não. No cinema, muito mais interessante, você poder conduzir o filme como quiser. A platéia se envolve tanto que não são raros os gritos para unificar a decisão final. Ver as coisas acontecendo depois de ter escolhido por isso é ótimo e funciona muito bem.

O filme, como cinema, é muito interessante, mas tem alguns probleminhas de montagem. Sei que é difícil analisar isso num filme interativo, mas acho que uma seqüência básica tem que existir para todos as escolhas.

Outro problema, mas bem mais grave, é o som. Segundo a produção, este será sanado em breve.

A fotografia é bem interessante e criativa, assim como a trilha sonora sufocante.

Os atores principais não comprometem, mas André Deca, ao compor seu personagem, adotou um jeito de falar que prejudica muito o entendimento e, sem o apuro do som, muitas palavras ficam completamente ininteligíveis.

Mas o resultado final é muito mais do que isso. O filme, independente de suas pausas, consegue criar um clima tenso e atiça a curiosidade dos espectadores. Talvez a coisa ficaria ainda mais sinistra se nos momentos de escolha uma música bem sombria fosse escolhida.

Depois da exibição, soube que uma das idéias com essas sessões era saber qual a opinião do público. Ao sair da sala, recebemos um questionário e as resposta de sessões anteriores já foram responsáveis por alguns ajustes.

É daquelas experiências que todo mundo tem que ter. Infelizmente não existem outras sessões agendadas. Segundo a produção, já existe uma negociação para que aconteçam novas exibições em Brasília e a idéia de ir para outras salas da Caixa Econômica em outros estados. Em breve o filme também será lançado em dvd.

Filipe Gontijo pode investir em sua idéia, pois terá público garantido.

Imperdível!

Um Grande Momento

Em qual versão? Na minha foi a fuga.



Links

Blog Oficial

 


Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

16 Comentários

  1. Oi Cecília, teremos que esperar o próximo edital do FAC para lançar o DVD. Acho que sai em janeiro do ano que vem.
    abs

  2. Olá!

    O filme é mesmo muito divertido! Tomara que vocês consigam fazer exibições em outras cidades do país. Sei de gente do Rio e de Curitiba que está bem interessada. Hehehe.
    Obrigada pelo link, vou lá conferir! E pelo dvd próximo também!

    Beijocas

  3. Oi Cecilia,
    muito obrigado pela resenha. Fiquei muito feliz em saber que você e seus amigos se divertiram com nosso filme. Ainda estamos coletando oq saiu na mídia sobre o filme, mas não resisti e já postei em nosso site um link pra matéria no seu blog.

    Te envio uma cópia de A GRUTA assim que o DVD ficar pronto.

    Grande abraço,
    Filipe.

  4. Nossa! Nunca!
    É o meu filme favorito, só de pensar na possibilidade já fiquei toda arrepiada.
    Como você conseguiu isso?

    Beijocas

  5. “Casablanca”, para mim, é o maior filme de todos os tempos.

    Já teve a chance de vê-lo no cinema? Faz toda a diferença.

  6. Oie!

    Pois é, Renata! Fiquei curiosa exatamente com a mesma coisa. O que será que aconteceu antes? Tomara que tenham novas sessões, né?

    Pelo jeito, acho que terão sessões no Rio sim, Francisco. A idéia toda é muito boa mas também cheguei na Caixa sem saber que a duração variava e achei isso o máximo.
    Eu também acho que no cinema é outra coisa. Até porque você pode interagir com as outras pessoas da platéia e as coisas nem sempre saem do jeito que você quer.
    Estava brincando sobre Casablanca. Acho que é um filme perfeito!

    Beijocas

  7. Olha, deu MUITA vontade de ver ao ler teu texto. Já estava curioso com este filme, agora estou curiosíssimo! Se tiver alguma sessão no Rio darei um jeito de ver.

    Achei genial a idéia de que a duração do filme é variável. Sempre tem duas chances, nas exibições que fazem?

    Algo assim não pode ser visto em DVD, perde a graça. A experiência vale muito mais do que o filme, por melhor que ele seja.

    Ah, e um rápido comentário… o final de “Casablanca” é intocável, para mim. É perfeito!

  8. Oi ciça!! Adorei a experiência!! Concordo com vc, durante algumas votações uma música mais sobria ajudaria a manter o clima de suspense…
    Fiquei muito curiosa sobre os outros finais.. será que é explicada aquela história que aparece nos flashs??
    Bjao

  9. Oi, Wallace!

    Mais é muito divertido, de verdade. Claro que não dá para ver sempre assim, mas a idéia é muito interessante.

    Imagine só você ter um controle desses na cena da maçaneta em As Pontes de Madison ou no final de Casablanca. Hehehehe

    Beijocas

  10. Hmmmm … vc quase me convenceu, mas acho que pra algumas novidades no cinema ainda sou muito tradicionalista.

  11. Oi, gente!

    Jessica – Além do ótimo filme, foi muito bom te encontrar e votar junto com você. Hehehe.

    Kau – Bom demais, né? A idéia deles é ir para as Caixas de outros estados, sabe? Tomara que vá para aí sim. Mas, de qualquer jeito o dvd vai ser lançado em breve.

    Fernando – É bem interessante mesmo! E eu nunca vi nada parecido…

    Kamila – Parece que vai dar uma passeadinha pelo país. Quem sabe…

    Beijocas

  12. Uma ideia sem dúvida original. Parace-me bastante interessante. :)

    Beijo

  13. Cecília do céu!! Quando eu vou poder conferir isto????? Fiquei DOIDO pra ver, mas acho que não vem para Curitiba =(

    Bjos!

  14. Oi amiga!!!!! Apareci para deixar um beijinho!
    O filme-jogo é uma proposta muito interessante. A proposta da interatividade funciona mesmo! Os gritos, as risadas da platéia contagiam…
    Você fica tão dentro do filme que quer votar e apertar os botões logo, e ainda briga se não aparece a luz verde no controle que confirma a votação.
    Adorei a sessão, mesmo não sendo o final que eu escolhi!
    E, se souber, ano que vem, quando ocorrerão novas sessões, não deixe de avisar no blog, pois quero a chance de poder ver os outros finais possíveis.
    Beijos

Botão Voltar ao topo
Fechar