Crítica | Streaming

A Vida Pode Mudar

Receita de bolo

(This Little Love of Mine, AUS, 2021)
Nota  
  • Gênero: Comédia, romance
  • Direção: Christine Luby
  • Roteiro: Georgia Harrison
  • Elenco: Saskia Hampele, Liam McIntyre, Lynn Gilmartin, Monette Lee, Tiriel Mora, Lawrence Ola
  • Duração: 91 minutos

Ah, o padrão! Difícil dizer quantas vezes vimos filmes exatamente iguais a A Vida Pode Mudar. São tantos, que o título brasileiro é quase uma provocação: pode, mas não com esses roteiristas. Com cara de Hallmark Channel ou daquelas produções que estão sempre reprisando na MyTime Movie Network, esta comédia romântica tradicional segue a estrutura básica do subgênero nos mínimos detalhes. Pessoas diferentes que se (re)encontram e seguem o jogo de atração e rejeição até a descoberta da paixão.

A apresentação não poderia ser mais clichê. Ela numa cama, dormindo com os seus processos e o seu trabalho, e ele numa rede, na beira da praia. Os dois acordam sorrindo, felizes com as suas realidades, como num comercial de publicidade, e, a seguir, as interações com personagens aleatórios, ainda em tom de comercial, mas agora de Activia, são ainda mais constrangedoras. A complexidade da trama do casal de protagonistas, com a história do contrato e do reencontro dos dois, não vai muito além disso. É um começo, no mínimo, difícil. 

A Vida Pode Mudar

Embora seja tudo muito batido e usual, e tenha essa roupagem pouco habilidosa, há a vontade de fazer alguma coisa minimamente interessante. A roteirista Georgia Harrison e a diretora Christine Luby demonstram carinho pelos seus personagens e a admiração pelo gênero consegue ser percebida no modo como a trama se desenvolve. Se a história de Chip e Laura demora a convencer, há alguma coisa lá no fundo da relação desta e Gem, a amiga de infância, que agrada. 

Apoie o Cenas

Filmes como A Vida Pode Mudar são daqueles títulos que se acompanham sem muito envolvimento e sem grandes expectativas. Todos os personagens são velhos conhecidos: os chefes frios, os parentes queridos, a melhor amiga fofa e o namorado nojento; assim como os passos da trama. As únicas novidades mesmo serão alguns tipos de atividades: o jogo de derrube o côco, o consertar esgoto e coisinhas assim. No mais, só aquela receita de bolo que já conhecemos de outros carnavais.

Um grande momento
Amuleto da sorte

Curte as críticas do Cenas? Apoie o site!

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.
Botão Voltar ao topo