Série em Cenas

Afronta!

Para parar, ouvir e aprender.

(Afronta, Brasil, 2017)
Documentário
Criador: Juliana Vicente
Temporada:1
Duração média: 13 min.
Canal Futura
Onde ver: Netflix

Afronta! é uma série documental brasileira da cineasta Juliana Vicente e está disponível na Netflix para descolonizar o pensamento e trazer para o conhecimento as profundezas do racismo suas as suas facetas, dimensões e consequências. Afrofuturismo e empoderamento são temas que também ganham destaque nas falas de artistas como Liniker, Karol Conka, Dani Ornellas e Rincon Sapiência.

Dói um açoite que não foi neste corpo, mas dói ainda.

Anelis Assumpção

Com uma câmera parada e o microfone ligado, cada episódio tem um personagem que conta sua história de vida e seus desafios sobre identidade, representatividade, discriminação e reconhecimento cultural e de origens, bem como, suas visões e depoimentos de como buscam sair da espiral imposta pelo sistema excludente e opressor.

Na escola percebi que minha cor era um problema. Eu aprendi que meu cabelo era errado, que eu tinha que escondê-lo de alguma forma.

Criola

A cada episódio de Afronta! uma virada, em geral quando o personagem percebeu que o fato de ser já o colocava num lugar diferente dos outros, com a descoberta e a autoafirmação num processo de ruptura que passa pelo corpo e por outros pontos íntimos e privados (como a religião), mas que são tão violentamente inibidos. É muito forte quando se fala da integridade e verdade do corpo, sem uma realidade imposta, mas como uma identidade reconhecida em si. 

Eu sou isso e vim mesmo pra ficar, e eu vou provar pra galera.

Karol Conka

O conceito de afrofuturismo vem a todo momento para trazer uma nova narrativa quebrando a ideia posta atual e colocando pessoas negras fora do lugar de subalterno, em todos os sentidos, incluindo o cultural e o de proposta estética. Fica claro que um espírito otimista está presente, como uma aurora de algo que não tem mais volta, uma nova era que vistos e representados se ganha mais força e mais energia de buscar seu real espaço.

Quando a gente começa a se ver mais, a gente começa a fincar o nosso espaço nesse lugar que a gente foi apagado.

Liniker

Estar na Netflix um espaço com visibilidade para tantos lugares e para tantas pessoas, é algo que ganha dimensões especiais para essas vozes apresentadas por Juliana Vicente, não apenas para nos presentear com histórias e personalidades tão maravilhosas, como Magá Moura, Raquel Virgínia, Criola, Mahal Pita e Benjamin Abras; mas também para marcar presença e marcar bem marcado.

Quando um preto vai a uma festa e se sente livre, isso é bem transgressor, né?

Batekoo

Para parar, ouvir e aprender. Dá para sentir a alma evoluindo alguns centímetros e dá para se tornar ainda mais atento ao mundo, à segregação e ao local de fala. De aplaudir de pé a ideia e o belo trabalho, e de agradecer a oportunidade presenteada.

Afronta, então!

O melhor episódio
T01E09 – Daniela DaMata

Ver “Afronta!” na Netflix

Soraya Lopes

Gerente de projeto, comunicadora e buscadora constante de um descanso para a cabeça é viciada em séries e qualquer bobagem de tv que envolva comida, decoração ou sobrevivência e não tem escrúpulos de se emocionar com estas coisas. Se empenha em estudar filosofia, sociologia, psicologia e outros temas que possibilitem entender cada vez mais as pessoas.
Botão Voltar ao topo