Em sua 13ª edição, o CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto ocorrerá de 13 a 18 de junho e destaca a reunião de profissionais do audiovisual para a discussão de um tema importante em tempos de transição do analógico para o digital. Trata-se justamente da preservação e todas as tecnologias e relações com a indústria que ela implica.

Curadores da temática, Ines Aisengart Menezes e José Quental buscam ampliar o debate com uma reflexão sobre as “Fronteiras do Patrimônio Audiovisual”, passando por questões como a exploração da propriedade indígena, as reservas biológicas, o domínio do agronegócio, o asilo para estrangeiros, a separação entre Estado e Religião, entre outras problemáticas.

A coordenadora geral da Mostra, Raquel Hallak defende que “a CineOP está a serviço da preservação do patrimônio cinematográfico brasileiro e se tornou palco de encontros, discussões e decisões do setor de preservação, que clama por atenção e políticas públicas em um mundo hiper acelerado e tecnológico, que muitas vezes se esquece ou negligencia sua própria história”.

O “Fronteiras do Patrimônio Audiovisual” se desdobrará em algumas extensões, como a “Formação, Produção e Preservação no âmbito Universitário”, que se dará a partir de estudos obtidos dentro das salas de aula do Brasil e do mundo, e a “Malditos e Olvidados”, que tratará sobre o descaso com registros eróticos, amadores e com finalidades específicas.

Já a “Fronteiras entre a Indústria, Mercado e Arquivos” se dividirá nas pautas “Tecnologias”, que reunirá grandes representantes dos setores tecnológicos, e “Conteúdo, Fomento e Regulação”, que mapeará hábitos de consumo da imagem em diversas plataformas, da televisão ao streaming.

Finalizam o núcleo de debates a “Fronteiras Políticas e Regionais: Arquivos Fora-do-Eixo”, sobre a questão da preservação de registros feitos fora do eixo Rio-São Paulo, e a “Fronteiras internacionais: A Comissão Técnica da FIAF – 80 anos”, que trará Céline Ruivo, coordenadora da FIAF.

Por fim, há eventos e atividades complementares na programação. Como o programa “Cases de Restauro”, composto de curtas-metragens dirigidos por Orlando Bomfim, pioneiro no registro do cotidiano cultural do Espírito Santo. O Atalante, obra inacabada de Jean Vigo filmada em 1934, também será exibido. Convidado para a exibição de Dawson City: Tempo Congelado, o americano Bill Morrison ministrará posteriormente uma masterclass intitulada “Processo de Criação, Pesquisa e os Arquivos Audiovisuais”.

Serviço
13ª CINEOP – MOSTRA DE CINEMA DE OURO PRETO
13 a 18 de junho de 2018
Idealização e realização: UNIVERSO PRODUÇÃO
Patrocínio: TAESA, CBMM
Fomento: CODEMGE| GOVERNO DE MINAS GERAIS
Parceria: Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP
Apoio: Cinema do Brasil, Instituto Universo Cultural, Café 3 Corações, Prefeitura de Ouro Preto, Embaixada da França no Brasil, Rede Globo Minas, Parque Metalúrgico Augusto Barbosa|Centro de Artes e Convenções de Ouro Preto, Adop