Série em Cenas

Feel Good

(Feel Good, Reino Unido, 2020-)
Comédia, Drama, Romance
Criador: Mae Martin e Joe Hampson
Temporada: 1-
Elenco: Mae Martin, Charlotte Ritchie, Sophie Thompson, Lisa Kudrow
Duração média: 30 min.
Canal Netflix
Onde ver: Netflix
[/box-novo]

Quão difícil é viver tentando ser o que achamos que quem amamos deseja que sejamos ou não? Um relacionamento lésbico é igual a qualquer outro, a não ser que uma do casal seja hetero ou finge ser. A comédia Feel Good da Netflix de Mae Martin aborda este tema da forma mais precisa e doce (além de irreverente).

A série é uma comédia dramática que aborda o relacionamento entre Mae (Mae Martin), lésbica assumida, e George (Charlotte Ritchie) hetero tendo seu primeiro amor homo, que à primeira vista vai parecer mil maravilhas, mas com o decorrer dos episódios vai ganhando uma tensão bem bacana de acompanhar e que torna inevitável não torcer muito a favor, além de contar com elementos típicos de séries britânicas que dá um tom que deixa ainda mais original a forma como apresenta a evolução pelo exercício de rir de si.

Feel Good, série da Netflix

Mae é uma comediante de stand up canadense que é dependente de drogas e finalmente entende que precisa ir a grupos de apoio para poder se ver livre de problemas. Lésbica assumida, vê sua relação dominar sua personalidade quando percebe que o fato de sua namorada não a assumir para amigos e família pode estar causando mais insegurança que ela, ou o namoro, podem suportar.

George é hetero até o dia que se apaixona por Mae e em rapidamente engata num relacionamento super carinhoso, cheio de paixão e parceria, mas como ainda não se sente preparada para sair do armário, teme em perder a mulher da sua vida ou tudo aquilo que sempre acreditou ser substancial demais em sem mundo. Estaria ela disposta a mudar tudo e enfrentar seus principais grilos por amor?

Feel Good, série da Netflix

É fácil se identificar com o problema das duas personagens, sobretudo para quem já esteve no sapato de ambas. É muito difícil assumir um amor diferente, principalmente quando se vem de família e grupos muito tradicionais, que depositam muitas expectativas heteronormativas no seu contexto de desejo e de se relacionar. A forma de pensar, agir, viver e até sonhar parte de uma visão socialmente construída e fortemente mantida para que relacionamento entre duas mulheres seja no máximo algo jocoso ou tolerável (no outro). 

É por isto que a dor de ser a ponta do casal que não é assumida, e que é apresentada como a “amiga” pode ser tão grande, é como para quem se ama muito, para quem se planeja ter um futuro todo pela frente, nem tolerável se pode figurar, porque no fundo, é um papel e um lugar que ficam impossíveis de alcançar, a não ser que a existência toda seja adaptada, transformada ou escondida: que não exista.

Feel Good, série da Netflix

Não espere longas gargalhadas, saiba que Feel Good está mais para uma lição com senso de humor britânico com sotaque canadense, mas é bem comovente e enche o coração de muita coisa que vale ter: esperança por amores que existam e por um mundo cheio de pessoas amigas que vivam de boas com meninas amam meninas, sem grilos nem necessidades de armários.

O Melhor Episódio
T01E06

Ver “Feel Good” na Netflix

Série em Cenas

Soraya Lopes

Gerente de projeto, comunicadora e buscadora constante de um descanso para a cabeça é viciada em séries e qualquer bobagem de tv que envolva comida, decoração ou sobrevivência e não tem escrúpulos de se emocionar com estas coisas. Se empenha em estudar filosofia, sociologia, psicologia e outros temas que possibilitem entender cada vez mais as pessoas.
Botão Voltar ao topo