Crítica | Streaming

Fica Comigo Esta Noite

(Fica Comigo Esta Noite, BRA, 2006)

Romance

Direção: João Falcão

Elenco: Vladimir Brichta, Aline Moraes, Laura Cardoso, Clarice Falcão, Gustavo Falcão, Milton Gonçalves, Zéu Britto, Marly Bueno, Alessandra Maestrini

Roteiro: João Falcão, Adriana Falcão, Tatiana Maciel

Duração: 75 min.

Minha Nota: 6/10

Se alguém soubesse qual seria o dia de sua morte, faria de tudo para aproveitar os seus últimos momentos na Terra. Mas como ninguém sabe qual é a hora certa… Esse é o mote do filme brasileiro Fica Comigo Esta Noite.

Um músico conhece uma mulher em uma livraria e se apaixona imediatamente por ela. Mesmo noiva e prestes a se casar com outro, ela desiste de tudo para ficar com a nova paixão. Os dois vivem bem, mas tem um único problema: mesmo com medo da morte, ele sempre se finge de morto para superar situações difíceis.

O filme é daqueles bem bobinhos e sem grandes pretensões e consegue arrancar algumas risadas espaçadas de quem o assiste. Vladimir Brichta e Aline Moraes, apesar de serem fracos, são bem esforçados e até têm alguma química em cena, mas estão longe de ser um casal inesquecível.

Laura Cardoso, apesar de uma participação rápida, está muito bem, como sempre, e Clarice Falcão, que faz uma personagem misteriosa, também não decepciona. O Fantasma do Coração de Pedra, no entanto, está exagerado e pouco original, lembrando muito o pirata Jack Sparow, de Johnny Depp. O elenco de apoio é uma curtição a parte: Milton Gonçalves como o padre, Zéu Britto como o agente funerário e Alessandra Maestrini como a vidente acabam tornando a experiência muito mais proveitosa.

O filme é baseado na peça homônima de Flávio Souza, que já foi montada diversas vezes e ja teve o casal de protagonistas interpretado por Marisa Orth e Carlos Moreno, Luis Fernando Guimarães e Débora Bloch e por Marisa Orth (de novo) e Murilo Benício.

O roteiro para o cinema foi escrito pela primeira vez por Daniel Filho, mas, ao aceitar dirigir o projeto, a condição de João Falcão era a de reescrevê-lo completamente. O resultado final é bom, mas escorrega algumas vezes e não resiste a soluções batidas e exageradas.

A trilha sonora, assinada por Robertinho do Recife, está interessante e os créditos iniciais do filme, baseados em quadrinhos também são bem legais.

Quem assistiu a Piratas do Caribe, Ghost e Os Fantasmas se Divertem vai reconhecer muitos elementos. Apesar dos deslizes e de ser bastante esquecível, não deixa ninguém com raiva por ter assistido ao filme.

Para quem está sem mais nada para fazer e quer ver uma comédia bobinha.

Um Grande Momento

Apesar de não ser a mais original das cenas, o pirata encarnando no padre é bem legal.

 

Links

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

Um Comentário

  1. Olá!

    Olha, Tito, eu acho que para quem viu a peça, o filme deve decepcionar um pouco mais, mas não sei.

    Não é assim não, Robson! hehehe
    Ultimamente é que ando vendo muito esse tipo de filme.

    Aquele básico foi bom mas eu não me lembro direito, né O Cara da Locadora? E ainda com algumas boas risadas

    Já que não é o seu tipo, Rodrigo, deixa para quando passar na tv. É bem bobinho mesmo…

    Oi Red Dust, que triste isso. Mas temos o mesmo problema com o cinema português por aqui. Os títulos são bem raros. Depois de As Três Marias teve muita coisa boa por aqui. Devia ser totalmente diferente!

  2. Infelizmente cá a Portugal chega muito pouco cinema brasileiro. Vai passando, de tempos a tempos um ou outro na televisão. Só para verem como está o panorama, a última película brasileira que vi foi ‘As Três Marias’.

    Mesmo ‘Tropa De Elite’ ainda está para estrear. A predominância vai mesmo para as novelas e em especial da Globo.

  3. vi várias vezes esse filem dando sopa na locadora e não o loquei… talvez dê uam chance a ele, depois da sua dica aqui no blog.. mas memsoa sism confesso que não é o tipo de filme que me atrai… as vezes vou muito pelo rotulo (um mal, confesso, mas…) e achei bem bobinho qdo vi a capinha do dvd dele… paciencia, ehhee
    beijos!!!

  4. Então, eu vi e achei bem bonitinho. Vi com minha namorada pq ela já tinha visto a peça e pediu pra ver, mas é o que vc disse, nada de grandioso, mas vc n fica com raiva de ter visto..

  5. Cecília, morri de rir com o seu básico p.s. Mas confirmei minha teoria, comédia é contigo mesmo!! hehehehe

  6. Eu via a peça, há anos, acho que 16 anos, com Luis Fernando Guimarães e Débora Bloch e gostei muito. Confesso que não me animei em ver o filme.

Botão Voltar ao topo