Crítica | FestivalCrítica | Outras metragensFestival de Brasília

Landau 66

(Landau 66, BRA, 2008)

Suspense

Direção: Fernando Sanches

Elenco: Ricardo Gelli, Pedro Carvalho, Victor Ribeiro

Roteiro: J. M. Trevisan

Duração: 12 min.

Minha nota: 10/10

Se você pode fazer muita coisa em pouco tempo, para que se alongar?

Com essa filosofia, quase todo filmado dentro de um único carro, o filme Landau 66 chega hipnotizando a platéia com uma história para lá de inusitada.

Em uma noite de chuva, dois amigos saem para dar um rolê e fumar um beck. No meio do caminho avistam um caroneiro, mas só param porque o carro dá defeito e o tal fulano faz com que volte a funcionar.

O filme é todo bem conduzido, com um roteiro inteligente e muitas falas irônicas. Os atores estão muito bem como o irritadinho e o bobalhão seqüelado.

Muitos dos enquadramentos são ótimos e vale ressaltar a direção de arte de Marcos Carvalheiro que, com pouco, fez muito.

Outra coisa muito boa é a trilha sonora de Lúcio Maia, que faz toda a diferença.

A única coisa ruim está fora do filme. A sinopse acabou entregando o final que é bem surpreendente.

Um Grande Momento

Todos os grandes momentos que eu pensei entregam o filme. Acho que não vai dar para contar nada…


Prêmios e indicações
(as categorias premiadas estão em negrito)

Festival de Brasília: Montagem 16mm (Alexandre Boechat)

Links

Site do Festival de Brasília

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

Um Comentário

  1. Olá Cecília,

    Sou Ricardo Gelli, o “carona” Do filme! Gostei muito da avaliação que fez do filme.
    Realmente foi um daqueles raros curtas que dão satisfação profunda em fazer!
    Obrigado por estar divulgando nosso trabalho!
    Estarei visitando mais vezes o seu blog!

    Um abração!

  2. Oi, Trevisan!

    O filme é um ótimo exemplo de que com pouco você pode fazer muito.

    Gostei muito, mas como falei com o Fernando, no dia da sessão, acho que a sinopse podia ser alterada.

    Já dei uma olhada no seu blog, é bem interessante!

    Beijocas

  3. Oi Cecília!

    Meu nome é Trevisan e sou o roteirista do Landau 66. Queria agradecer a resenha e dizer que fico muito feliz pelo pessoal ter gostado aí em Brasília!

    Se quiser acompanhar mais notícias sobre o curta e outros trabalhos meus, é só dar uma passada no meu blog pessoal: http://www.doutorcarecalab.blogspot.com.

    Abraços a todos!

    T.

  4. E nem em lugar nenhum do Brasil. Aqui também isso só existe em época de festival.
    O que é uma pena!

    Beijocas

  5. Lembro que nos anos oitenta alguns cinemas passavam curtas antes do longa em cartaz, mas infelizmente essa prática já não existe mais aqui em SP.

    Bjos

  6. É genial mesmo, Kau! Daqueles que todo mundo deveria conhecer.

    Robson – Pois é. Isso tem que mudar. Quem sabe um dia, né? Até coletânea de curta em locadora é difícil encontrar…

    Beijocas

  7. Cecília!!!!! Uma palavra resume este curta: GENIAL. Assisti aqui no festival tb e fiquei impressionado com o que fizeram em míseros 12 minutos…

    Bjos e ótima semana!

  8. Oi, Gustavo!

    É um absurdo, não é mesmo?

    Tem tanta coisa boa sendo produzida aqui e em outros países e o grande público não toma nem conhecimento.

    Ou você assiste em festivais (tem alguns só de curtas), ou vê na televisão e na internet.

    Eu acho que deveria ser obrigatório no cinema. Antes do filme, ao invés de propaganda, passem curtas. O que você acha?

    Um beijão

  9. Curtas… Nunca vi um curta num cinema! Festivais devem ser o único meio para vê-los…

Botão Voltar ao topo