Crítica | FestivalFestival de Brasília

Outro Sertão

(Outro Sertão, BRA, 2013)

Documentário
Direção: Adriana Jacobsen, Soraia Vilela
Roteiro: Adriana Jacobsen, Soraia Vilela
Duração: 73 min.
Nota: 8 ★★★★★★★★☆☆

João Guimarães Rosa é um dos mais importantes escritores do Brasil. Os neologismos, invenções linguísticas e realismo fantástico do escritor de Sagarana e Grande Sertão: Veredas conquistaram leitores do mundo inteiro.

Qualquer coisa que diga respeito ao escritor mineiro já seria naturalmente interessante, mas o documentário Outro Sertão vai muito além de sua biografia mais conhecida e reconta a história de sua passagem por Hamburgo, na Alemanha, onde ocupou o cargo de vice-cônsul. Lá, Guimarães Rosa exerceu o cargo de vice-cônsul entre os anos de 38 e 42, época da Segunda Guerra Mundial e da perseguição aos judeus.

O documentário tem uma estrutura capitular e é recheado de imagens de arquivo cuidadosamente escolhidas para ilustrar trechos de cartas, contos, anotações e documentos oficiais. As diretoras acertam na mescla de imagens e informações e fazem da narração simultânea um diferencial interessante.

Porém, se elas acertam na exposição do resultado de dez anos de pesquisa, o uso das entrevistas não é tão funcional assim. A pesar de todas as histórias valerem o depoimento, o opção pelo método tradicional de entrevista e algumas repetições acabam prejudicando a narrativa, mas são problemas pontuais que em nada diminuem a história contada.

O documentário ainda conta com uma boa e equilibrada triha sonora e traz uma entrevista sensacional de Guimarães Rosa.

Outro Sertão torna-se um filme especial por ter escolhido contar a história certa e fazer isso de maneira interessante. Uma história que, apesar de pouco comentada, merece ser conhecida por todos e vai fazer João Guimarães Rosa ser maior ainda.

Um Grande Momento:
Os trechos da entrevista.

Outro-sertao_destaque2

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.
Botão Voltar ao topo