Crítica | StreamingFIC Brasília

Se Nada Mais Der Certo

(Se Nada Mais Der Certo, BRA, 2008)

Drama

Direção: José Eduardo Belmonte

Elenco: Cauã Reymond, Caroline Abras, João Miguel, Luiza Mariane, Milhem Cortaz, Adriana Lodi, Murilo Grossi, Eucir de Souza, Tainá Muller, Roberta Rodrigues, Mariah Teixeira, Leandra Leal

Roteiro: José Eduardo Belmonte

Duração: 120 min.

Minha nota: 7/10

Uma boa surpresa do festival foi o longa Se Nada Mais Der Certo, do brasiliense José Eduardo Belmonte. Apesar de ter entrado na sessão sem esperar grandes coisas, depois do fraco A Concepção, fui envolvida pelo ritmo frenético e o tom pessimista da trama.

O filme, que lembra Sam Peckinpah em alguns momentos, conta a história de um jornalista ferrado que mora com uma viciada em drogas e o filho dela. Sem dinheiro nem para pagar a luz, ele e dois novos amigos, uma figura andrógina e um taxista devastado pelo suicídio do pai, se unem para praticar delitos cada vez mais perigosos.

A fotografia do filme, assinada por André Lavenère, e a montagem, de Frederico Ribeincher, foram fundamentais para o envolver o público e demonstrar a realidade frenética de uma metrópole, no caso São Paulo.

O elenco está muito bem e, ao contrário do esperado, Cauã Reymonds consegue encarnar a figura do bonzinho lascado que explode em momentos de tensão. Claro que sua atuação ainda não pode ser comparada com a dos sempre competentes e surpreendentes Milhem Cortaz e João Miguel e nem com a da estreante em longas Caroline Abras.

A trilha sonora, com grandes clássicos do rock mundial e uma trilha infantil bem conhecida, é outro ponto alto do filme.

Apesar de todas as qualidades, algumas opções por tomadas longas e narradas me incomodaram um pouco, mas nada que estrague o filme.

O resultado final é positivo e, apesar de ser um drama, traz mais uma vez às telas o gênero ação, em uma produção que pode entrar facilmente no circuito e ter sucesso de público, mostrando que não é só de Tropa de Elite que vive o cinema popular brasileiro.

Uma boa pedida!

Um Grande Momento

A invasão da casa pelos mascarados.



Prêmios e indicações
(as categorias premiadas estão em negrito)

Festival do Rio: Filme, Atriz (Caroline Abras)

IC Brasília 2008

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

4 Comentários

  1. Quero ver este. João Miguel é ótimo e quero ver se Reymond anda merecendo os elogios que vem recebendo.

  2. Poxa teve uma exibição do filme no belas artes acho aqui em sampa, com o diretor , o caua e ainda o fernando meirelles , naum consegui ir.

    quero ver o filme apesar de ficar meio traumatizado depois de ver o caua em falsa loira, mas acredito q são momentos diferentes e em falsa loira, na minha opnião tudo foi bem fraco.

    abraço!!!

  3. Bom, eu não gosto muito de A Concepção eu ouvi falar de Meu Mundo em Perigo, mas não tive vontade de ver. Se Nada Mais Der Certo é bem legal!

    Beijocas

  4. Tenho muita curiosidade no cinema do Belmonte … ainda não vi A Concepção, mas espero assistí-lo em breve, e aguardo ansiosamente por esse Se Nada Mais der Certo e por Meu Mundo em Perigo, que fez barulho no festival de Brasília do ano passado …

Botão Voltar ao topo