Crítica | Festival

Straighten Up and Fly Right

Me veja

(Straighten Up and Fly Right, EUA, 2022)
Nota  
  • Gênero: Drama
  • Direção: Kristen Abate, Steven Tanenbaum
  • Roteiro: Kristen Abate, Steven Tanenbaum
  • Elenco: Kristen Abate, Steven Tanenbaum, Sasha Boykin, AJ Cedeno, Kerryn Feehan, Lawrence Jansen, Flako Jimenez, Ai Kiyono, Mehret Marsh, Marianna McClellan
  • Duração: 88 minutos

A espondilite anquilosante é um tipo de artrite que faz as vértebras da coluna se fundirem e diminui a mobilidade, causando dores constantes naqueles que sofrem da condição e uma postura curvada para frente, dificultando sua locomoção e muitas das funções cotidianas. O diretor Steven Tanenbaum convive com a limitação há algum tempo e em Straighten Up and Fly Right se junta a uma de suas alunas de teatro, Kristen Abate, para falar sobre isso. Ela assina com ele a direção, o roteiro do longa, além de dividir a cena.

O título emprestado da música de Irving Mills e Nat King Cole reflete o tratamento que o mundo dá para aqueles que, por algum motivo, não se enquadram no padrão e a crueldade com que trata as pessoas com deficiência. Porém, também mostra sua força para agarrar onde se consegue, por mais difícil que seja, e seguir em frente. O filme acompanha as adversidades e maldades, mas também o sonho de Kristen em se tornar escritora.

Pesado, Straighten Up and Fly Right explora bem a cidade de Nova York, onde a personagem passa seus dias passeando com cachorros em troca do dinheiro que usará mais tarde para se drogar e pagar o traficante para fazer sexo com ela. Há alguma iluminação quando Kristen recebe o seu primeiro convite ou quando conhece alguém que compartilha a mesma condição que a sua, Steve, aquele que se tornará um amigo de verdade.

Apoie o Cenas

Contando com atuações cativantes, o longa envolve e faz com que queiramos acompanhar a jornada daquelas pessoas, ainda que ela venha envolta em repetições e falte equilíbrio e modulação ao roteiro. Os altos e baixos são equilibrados demais e os eventos mais emocionais não têm tanta força quanto aqueles que foram pensados para chocar. A exceção está na participação de Soleil, vivida por Mehret Marsh, com sua personagem que se transforma no desenrolar da trama.

Straighten Up and Fly Right é um filme simples, que, apesar de seus deslizes, tem muitos acertos, um carisma inegável e muita coisa a dizer. Daquelas experiências que vão além da sua intenção e marcam por mostrar algo que sempre esteve lá, mas custamos a perceber.

Um grande momento
Ensaiando pro slam

[2022 Bentonville Film Festival]

Curte as coberturas do Cenas? Apoie o site!

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.
Botão Voltar ao topo