Crítica | Streaming

Sujou… Chegaram os Bears

Visto na TV(Bad News Bears, EUA, 2005)

Comédia

Direção: Richard Linklater

Elenco: Billy Bob Thornton, Greg Kinnear, Marcia Gay Harden, Sammi Kane Kraft, Ridge Canipe, Troy Gentile, Brandon Craggs, Jeffrey Davies

Roteiro: Bill Lancaster, Glenn Ficarra, John Requa

Duração: 113 min.

Minha nota: 6/10

Vários são os temas recorrentes no cinema estadunidense, mas um que sempre dá algum retorno é aquele que mistura o esporte com a superação. A história é sempre a mesma: um time fraco, sem nenhuma chance de chegar a nenhum lugar, muda após a chegada de um novo treinador, um atleta diferente ou até mesmo uma jogadora que finge ser homem.

O esporte não importa, desde que ele não seja individual, e as produções retratam o basquete (Space Jam), o futebol (Ela É o Cara), futebol americano (Duelo de Titãs), o vôlei (As Damas de Ferro), a patinação artística (Um Casal Quase Perfeito) e, claro, o beisebol (Um Homem Fora de Série, Sorte no Amor, Garra de Campeões e muitos outros títulos).

Sujou… Chegaram os Bears também fala do esporte dos tacos, luvas e bases, mas na liga infantil. Refilmagem de Garotos em Ponto de Bala de 1976, que teve duas seqüências inferiores e inspirou uma série televisiva, o filme tem no treinador Morris Buttermaker o seu principal trunfo.

Interpretado anteriormente por Walter Matthau e Jack Warden, o papel de perdedor durão e grosso caiu como uma luva no bad boy Billy Bob Thornton. Mais light do que Willie, o Papai Noel doidão, seu Buttermaker parece sempre estar muito confortável entre as cervejas e as mulheres peitudas do Hooters.

No roteiro nada de muito novo. O time infantil dos Bears é um completo desastre e não ganha nada além de muita gozação. O técnico apela para táticas pouco ortodoxas e convida duas feras para jogar com eles. Mais confiantes, os jogadores começam a ter resultados positivos.

Apesar dos muitos clichês, como a inimizade com o técnico do time mais forte e bem treinado da liga, o filme ganha pontos por abordar alguns temas que as costumeiras produções Disney jamais abordariam. O time infantil reunido em um bar cantando Cocaine, de Eric Clapton, é uma das coisas mais inesperadas que eu já vi.

Outros nomes do elenco também chamam a atenção. Enquanto Greg Kinnear é o técnico engomadinho e de shorts apertados do time bom, Marcia Gay Harden é a mãe coruja e descrente de um dos fracos jogadores do time.

Claro que é um programa bobinho, mas consegue colocar aquele sorriso na cara de quem está vendo e, só por isso, já vale.

Um Grande Momento

O óleo na luva.


Links

Imdb

Links

Site Oficial

IMDb

Comprar

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

5 Comentários

  1. O filme é bem isso mesmo. Legalzinho, meio irreverente, nada demais. Do Linklater, esperava mais. Mas diverte.

    Ciao!

  2. Nao conhecia o filme, mas ate que fiquei curioso, principalmente pela cena dos guris cantando Cocaine! uhauahu e coincidentemente eu vi um filme com o Greg Kinnear hoje, Ghost Town.

  3. Link-me e me mande o banner do seu blog pra que eu ponha em parcerias ;)
    Beijos! ;@

  4. Eu também sou mt fã do ator! Dá uma passadinha no meu blog, podemos fazer parceria?
    Parabéns pelo seu trabalho!
    Vou estar sempre de olho!
    Beijos! ;*

  5. Confesso que nunca tinha ouvido falar nesse filme do Richard Linklater, mas se é do diretor, sem dúvida é confiável.

Botão Voltar ao topo