Crítica | Streaming

Um Ato de Liberdade

(Defiance, EUA, 2008)

A história real da fuga dos irmãos judeus Tuvia, Zus e Asael Bielski para a floresta de Nalibokov, na Bielorussia, onde criaram uma comunidade de resistência durante a ocupação nazista da Europa Oriental, é o tema principal do filme Um Ato de Liberdade.

A história dos irmãos é interessante e comovente, mas tem uma dificuldade enorme de convencer na tela e termina não funcionando bem. Mais uma vez, Edward Zwick (Lendas da Paixão) se perde e demonstra a mesma falta de identidade e de ousadia de qualquer outro trabalho.

Apoie o Cenas

Não que as coisas não estejam nos lugares onde esperamos. Pelo contrário. Tudo está devidamente colocado, muito bem posicionado e previsível como sempre. Os clichês vêm e vão com tanta naturalidade que depois de trinta minutos de projeção já sabemos o que vai acontecer. E, pior, estamos cansados de tudo aquilo.

Nem a presença de Daniel Craig, que conseguiu até mesmo imprimir uma nova personalidade a James Bond, uma das personagens mais conhecidas do cinema, foi suficiente para prender os espectadores e surpreender. Ao seu lado, os bons atores Liev Schreib (Sob o Domínio do Mal) e Jamie Bell (Billy Elliot) também não tem mais sucesso. Mas acabam fazendo a diferença no meio de tanta mesmice.

A equipe técnica de primeira linha também se destaca, mas não resolve o problema. Isso serve para a bela fotografia do português Eduardo Serra (Moça com Brinco de Pérola), o excelente desenho de produção de Dan Weil (O Quinto Elemento) e a marcante trilha sonora de James Newton Howard (Batman – O Cavaleiro das Trevas).

No final é mais um daqueles filmes que eram para ser, mas não conseguiram. Tão bonito quanto vazio.

Claro que quem gosta de filmes históricos, principalmente os que envolvem a Segunda Guerra, pode se interessar muito. Quem não aguenta clichês vai sofrer por mais de duas horas. E sem descanso.

Um Grande Momento

A cena com o refém, talvez.

Prêmios e indicações (as categorias premiadas estão em negrito)

Oscar
: Trilha Sonora (Thomas Newton Howard)

Globo de Ouro: Trilha Sonora (Thomas Newton Howard)

Links

Drama
Direção: Edward Zwick
Elenco: Daniel Craig, Liev Schreiber, Jamie Bell, Alexa Davalos, Allan Corduner, Mark Feuerstein, George MacKay, Mark Margolis, Jacek Koman, Clayton Frohman
Roteiro: Nechama Tec (livro), Edward Zwick, Clayton Frohman
Duração: 137 min.
Minha nota: 4/10

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.
7 Comentários
Inline Feedbacks
Ver comentário
Claudio Azevedo
Claudio Azevedo
27/05/2009 18:01

Veja só! Eu já acho esta temática fundamental e que não pode ser esquecida. Vide os movimentos neo nazistas espalhados por aí. Gosto muito de ver filmes assim e neste caso, uma historia diferente, que não conhecia. Não é uma obra prima, longe disso, mas gostei do filme. Gostei tambem da Aritmética do Diabo, outro filme de Holocausto, com viagens no tempo, etc. É tudo uma questão de abordagem.

Ramon
Ramon
26/05/2009 15:41

Realmente, cheio de clichês. Uma lástima, pois esta obra é bem aguardada, e muitos achavam que seria oscarizável. Ledo engano!

Abs!

Rivaben
Rivaben
25/05/2009 19:58

Muito legal o blog Cecilia!

Já está linkado! :)

Beijao!

Anderson Siqueira
Anderson Siqueira
24/05/2009 01:36

Já eu gostei. Este é um dos raros filmes que colocam os judeus em posição ativa, não passíveis na situação de caça e extermínio. Isso sim é o que todos queríamos fazer no lugar deles. Matar os nazistas! AuhAuah! Brincadeira.
=)

NOTA (0 a 5): 4
****

Hugo
Hugo
24/05/2009 00:10

Eu gosto de tipo de drama sobre guerra e esta história é muito interessante, porém concordo com você, Edward Zwick é um destes diretores operário-padrão, que seguem a risca o padrão Hollywood.

Bjos

Jeniss Walker
Jeniss Walker
23/05/2009 21:53

vejo em DVD esse.
apesar dos apesares, gosto dos filmes de Ed. Zwick.
abraço :)

Marcio Melo
Marcio Melo
15/05/2009 14:44

Eu particulamente não aguento mais assistir filmes com esta temática (segunda guerra e/ou holocausto e/ou judeus).

Esse não deverei assistir

Botão Voltar ao topo