Crítica | Streaming

WALL·E

 ( WALL·E, EUA, 2008)
Animação/Ficção Científica/Infantil

Direção: Andrew Stanton
Roteiro: Andrew Stanton, Jim Capobianco
Duração: 103 min.
Minha nota: 9/10

Ao sabermos que um filme é da Pixar, não pensamos muito em se devemos ou não conferir o lançamento no cinema, já saimos logo para comprar os ingressos. Até os mais resistentes acabam se rendendo após assistir aos trailers cheios de animação da mais alta qualidade.

Claro que isso não pode se aplicar àqueles que odeiam filmes do gênero, mas vale para a grande maioria. Em um futuro não muito distante, a Terra vive uma outra realidade completamente diferente da que conhecemos agora. Sem humanos, o único habitante do lugar é um robozinho simpático criado especialmente para compactar lixo. É exercendo o seu trabalho que ele vai recolhendo o seu tesouro de bugigangas ao lado de sua fiel escudeira, uma barata. Tudo muda quando ele encontra um outro ser robótico.

O filme é uma das apostas mais ousadas da Pixar. Mesmo sendo destinado a crianças, o estúdio aposta em um começo onde o sépia faz as vezes de todas as cores, o cenário é muito pouco atrativo e os diálogos simplesmente não existem. Pensando que isso foi feito em um momento onde todas as crianças estão acostumadas a informações incessantes, videogames super agitados e barulhentos e páginas de internet que não cansam de brincar com as cores e suas misturas, o mínimo que podemos fazer é parabenizar tanto a Pixar como a Disney por acreditarem na proposta.

Mas a resposta demora a chegar para alguns (principalmente os mais novos) e é como se aquilo tudo fosse diferente demais para eles e um tempo de adaptação fosse necessário. Tanto que da cadeira de trás ouvi a mesma menininha deslumbrada do final perguntar à mãe no começo: “esse filme não está chato, não?”

A animação, como sempre, é surpreendente. As rajadas de vento são tão impressionantes como a recriação de uma cidade completamente destruída pelo próprio homem.

A trilha sonora de Randy Newman também é responsável pelo envolvimento das pessoas no filme, tanto em momentos românticos como nos de maior ação. Um filme cativante e muito bem feito que aproveita a platéia jovem para difundir uma das mensagens mais repetidas na atualidade: “precisamos preservar o planeta”, de maneira competente, emocionante e, pelo que vi do efeito causado no meu filho, bastante eficaz.

Como em todo filme da Pixar, não podemos perder o curta do início.

Um Grande Momento
Pós-conserto.

Logo-Oscar1Oscar 2009
Melhor Animação

WALL-E

Links

Site Oficial Imdb

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

19 Comentários

  1. Oi pessoal!

    Johnny, acabei tirando mais uma folga para ver o meu time perder lá no Rio, mas vou ver o que você me respondeu. Esse negócio do olhar crítico acontece mesmo, mas, por outro lado, eu estava com o meu filho ali e só isso pode mudar o nosso jeito de ver um filme.

    Acho que você vai gostar muito, Pedro. Se é que já não gostou…

    Vou conferir, Louis…

    Pois é, Ygor, foi uma das coisas que mais me surpreendeu.

    Tomara que você também goste muito, Sérgio.

    Robson, vou esperar a sua análise sobre o filme.

    Hugo, quem não gosta de animação não gosta mesmo de coisas como Toy Story e afins, a não ser pela qualidade e técnica de hoje em dia, mas esse filme é especial. Acho que merece, nem que seja depois do lançamento em DVD.

    Luciano, que bom que gostou. Fico feliz. E olha que essa aposta da Pixar foi, para mim, a mais arriscada de todas…

    É, Jacques, vai ter gente que só vai gostar depois de algumas vezes, né? Tem muito filme que é assim mesmo.

    Acho que você vai gostar, Marcel. E, particularmente, tanto pelo som como pelos efeitos, acho que vale pagar o cinema…

    Beijocas a todos!

  2. ainda não assisti, mas pretendo fazer isso ainda essa semana. =D
    estou com ótimas expectativas..

  3. Cecília,
    Esse é um dos filmes que, para alguns, será mais admirado com o passar do tempo. Eu gostei desde o início. Bjos.

  4. Wall-E é realmente um filme maravilhoso e, como você disse em seu texto, é a prova de que a Pixar sempre aposta nas fichas certas, por mais arriscadas que pareçam.

    Primeira vez no seu blog e já adianto que gostei, volto, e quero mais! hehehe

    Abraço!

  5. Sinceramente ainda não criei muita paciência para animação, assisti alguns como “Toy Story” e “Os Incriveis”, mas não sou grande fã, talvez por ainda não ter filhos…rs

    Bjos

  6. Cecília vou vê-lo, urgente! Tá todo mundo falando super bem, crítica elogiando assustadoramente!!

  7. Ainda n assisti este filme, mas estou bastante ansioso.. eh o principal favorito pro Oscar de animação ateh agora.. desde jah vou assistir..

    vlws

  8. Quero ver bastante também, e estou mais afim ainda de ver depois de seus coemntários, fiquei curisoso com uma animação com poucos diálogos…

  9. Oi Cecilia!! Que bom que me achou hehe… Já tem o meu comentario de Wall-E no blog! o/

  10. e sim, já respondi ao seu post lá … dê uma olhadinha, abraços

  11. Sim, o filme emociona sim. Não tiro o merito disso. Acho que fui muito sangue frio ao cinema e acabei vendo como o critico e não como um espectador … mas para quem é fã da produtora e de cinema de qualidade, emoção rola.

    enfim, como diz a Marji … Life is Life …

  12. Oie!!!

    Acho que você vai gostar, Wally. Estou esperando o veredicto final no Cine Vita…

    Sensacional mesmo e o meu pequeno também adorou. Estou tentando entrar no blog pelo link mas não estou conseguindo. Mas vou procurá-lo…

    Eu vi dublado, Ibertson. O Rodrigo, meu filho, ainda não gosta muito de legendas. Mas adorei mesmo assim! E ele lembra mesmo o E.T. Aliás, o filme é cheio de referências do cinema de ficção científica.

    Tomara que você dê sorte, Miriam. Acho que esse é um filme que vale a pena. Sempre é bom ter filhos que nos carregam para o cinema, né?

    Acho que não concordo com você, Johnny. O filme consegue homenagear e ao mesmo tempo desencolve uma história bem individual. Eu nunca vi o meu filho tão emocionado antes. Ele não pára de dizer que foi o melhor filme que ele viu na vida.

    Beijocas a todos!

  13. O problema não foi ser ousado … foi tentar ser uma obra prima … quis ser o 2001 da animação … mas se tornou apenas 2010, porém bem melhor do que Ratatouille e favoritissimo a ganhar o oscar de animação …

    abraços

  14. Vou acabar vendo este filme porque tenho uma filha que adora a PIXAR. Estou indo agora no cinema , nem sei o que eu vou ver. hehehe.
    Beijos.

  15. Quero muito ver Wall-E, nem que seja dublado. Deve ser muito bom pelo visto. E o robozinho parece o E.T hehehe

  16. Aee!! Outra que adorou Wall-E!!

    Eu achei o filme sensacional! É a Pixar se superando mais uma vez com esse romance emocionante e um show de técnica!

    Aliás, estou de blog novo! Um diario de bordo sobre a ida pra Londres e comentarios sobre filmes e séries. Já add vc por la! o/

    http://louisinreallife.blogspot.com/

  17. Nossa, é unânime, todos falam bem desse filme. Minha ansiedade só cresce. Verei esse Domingo!

    Ciao!

Botão Voltar ao topo
Fechar