Crítica | Streaming

Amor & Gelato

Para achar bonitinho

(Love & Gelato, EUA, 2022)
Nota  
  • Gênero: Comédia
  • Direção: Brandon Camp
  • Roteiro: Brandon Camp
  • Elenco: Susanna Skaggs, Tobia De Angelis, Saul Nanni, Valentina Lodovini, Owen McDonnell, Anjelika Washington
  • Duração: 110 minutos

São muitas as histórias que nos levam à Toscana. Frances viaja para a cidade por sugestão de uma amiga para esquecer a infidelidade do marido; Jack vai com seu pai, Robert, recuperar um antigo imóvel deixado pela falecida mãe… ou seja, parece que há algo de mágico naquele canto da Itália que abraça as pessoas e fez com que elas se curem e descubram. Dessa vez em Amor e Gelato, conhecemos Lina, uma jovem que acaba de perder a mãe para o câncer e vai atender seu último desejo: passar o um tempo sozinha por lá.

Não é nada estranho que um lugar tão encantador e cheio de lugares lindos seja perfeito para curar corações quebrados, autodescobertas e, também, surgimento de novas paixões. Nada estranho também que seja um cenário tão procurado para filmes, já que só os quadros e as paisagens valem boa parte daquilo que se está vendo. O novo filme da Netflix sabe se aproveitar das locações como pano de fundo da bonitinha história, que tem seus pontos baixos, mas é cativante. 

Amor & Gelato

Diferente do habitual, Amor e Gelato dá bastante espaço a outros interesses que não tenham a ver com romance, embora esse também esteja ali nas figuras de Lorenzo e Alessandro. O roteiro de Brandon Camp, também diretor do longa, baseado no romance de Jenna Evans Welch, até tenta ser, usando uma palavra que gostam de usar, desconstruído, ao reafirmar a prevalência de outros interesses. A grande questão é que não sabe muito bem como fazer isso e seguir toda uma cartilha para mudar o jogo apenas no final, não é o jeito mais eficaz.

Apoie o Cenas

O filme se perde entre seus caminhos paralelos, nessa descoberta da figura da mãe, no amadurecimento de Lina, na busca por um passado desconhecido, e até na reafirmação de grandes amizades. Ainda assim tem atrativos em sua jornada. Mas o tom familiar do longa e seu humor ingênuo acabam fazendo com que o público se envolva com a história fácil e com aqueles personagens. Estes, mesmo que nem sempre pareçam estar em um mesmo tempo e ritmo, com atuações irregulares entre si, também funcionam.

Amor & Gelato
Maila Iacovelli/Netflix

E Amor e Gelato segue leve até o fim do caminho da jovem que é mais uma a se encontrar na Toscana, o lugar para onde todos parecem dever ir para consertar suas dores e se descobrir. Lindo de se ver e fofinho, é uma boa pedida para quem não quer nada muito profundo ou relevante. Um programa feito para não pensar em nada e até abrir sorrisos bobos em meio a esses tempos tão amargos que enfrentamos. Mas é só isso mesmo.

Um grande momento
Levando a foto

Curte as críticas do Cenas? Apoie o site!

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.
Botão Voltar ao topo