Crítica | FestivalMostra SPnotas

Keyhole

36ª MostraDrama
Direção: Guy Maddin
Elenco: Jason Patric, Isabella Rossellini, Udo Kier, Louis Negin, Brooke Palsson, Suzanne Pringle, David Wontner, Kevin McDonald, Daniel Enright
Roteiro: George Toles, Guy Maddin
Duração: 93 min.
Nota: 6 ★★★★★★☆☆☆☆
(Keyhole, CAN, 2011)

Numa noite chuvosa, um grupo de gangsters se refugia em uma casa assombrada. O dono da casa e também chefe do bando, Ulisses, tenta encontrar a esposa nos muitos quartos do local, acompanhado de uma jovem que acabara de se afogar e um jovem refém.

Eis aqui mais uma das tradicionais experiências quase oníricas de Guy Maddin. Fortemente inspirado em uma época antiga do cinema, no caso misturando elementos do cinema noir e dos antigos filmes mudos de Hollywood, ele adapta (bem livremente) a história do herói grego Ulisses, misturando personagens como Calypso e Hyacinth, e cria algo bem próximo a um pesadelo.

Com o desenho de produção bem cuidado de Ricardo Alms, uma fotografia interessante de Benjamin Kasulke e atuações competentes, Keyhole consegue prender a atenção do espectador mesmo sendo óbvio, mas exagera em suas experimentações visuais e narrativas, que se mostram eficientes no começo mas, repetitivas, cansam.

Fãs do diretor podem escolher porque vão gostar, os outros podem sair da sessão achando a ideia não tão boa assim.

Um Grande Momento

“Eu sou só um fantasma.”

Links

IMDb Site Oficial [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=5hnE-JwVakw[/youtube]

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.
Botão Voltar ao topo