Críticas

Minha Mãe É uma Peça 3

(Minha Mãe É uma Peça 3, BRA, 2019)
Comédia
Direção: Susana Garcia
Elenco: Paulo Gustavo, Gerson Capri, Mariana Xavier, Rodrigo Pandolfo, Alexandra Richter, Cadu Fávero, Lucas Cordeiro, Parecia Travassos, Malu Valle, Samantha Schmutz, Stella Maria Rodrigues
Roteiro: Paulo Gustavo
Duração: 111 min.
Nota: 5 ★★★★★☆☆☆☆☆

Amadurecimento! Essa palavra define o filme “Minha mãe é uma peça 3”. A crescente de qualidade de produção e a maturidade que a paternidade trouxe a Paulo Gustavo são marcantes no novo filme.

Se no primeiro e no segundo as piadas gordofóbicas, homofóbicas e o apelo aos palavrões e à agressividade eram os gatilhos para arrancar risadas, o terceiro filme praticamente elimina esses recursos de humor e joga luz sobre problemas e doenças que surgem com a velhice.

Chega a causar estranheza a mudança brusca da personagem Hermínia (Paulo Gustavo), antes retratada como a típica mãe ignorante, educando a base de gritos. A última obra da trilogia traz uma Hermínia mais amorosa, compreensiva, sensível e preocupada com a autoestima e segurança dos filhos.

O foco muda do trabalho que os filhos costumam dar e das justificativas para a loucura materna para o limite da interferência na vida dos filhos adultos e o medo da solidão e de se tornar desnecessária.

Isso não muda o caráter duvidoso do humor praticado por Paulo Gustavo, que tem agradado até aqui e batido recordes de bilheteria. A maturidade não apagou sua marca, e a fórmula dos filmes anteriores se repete.

Ponto bem marcado para cena em que Hermínia banca a ida do filho Juliano (Rodrigo Pandolfo) à uma festa infantil vestido de Emília em uma de suas recordações. Nos filmes anteriores a cena não seria possível.

Um Grande Momento:
Cabelos ao vento.

Links

IMDb
https://www.youtube.com/watch?v=xpsjG3f6s4As

Fabiana Derzié

Fabiana Derzié é uma mãe jornalista tentando levar mais gentileza, beleza e amor ao mundo por meio da educação de seus pequenos. Apaixonada por arte e tudo que a envolve, se arrisca em poesias, textos existenciais, artesanatos, costura, pintura e o que mais possa permitir a expressão do que não é possível verbalizar. Voltando a cultivar sua paixão antiga pelo cinema escrevendo, escrevendo e escrevendo...
Botão Voltar ao topo
Fechar