Top, top, top uh!

Meus melhores de 2019: Lançamentos

Era setembro e eu já me preocupava com o top 10. “Vai faltar espaço”. Faltou. Faltou muito espaço. 2019 foi um ano de grandes produções, vindas de várias partes do mundo, com histórias diversas assim como os jeitos de contá-las. Entre misturas, inovações e alguns bons usos de velhas fórmulas, foram muitas as vezes que o filme saiu do cinema junto comigo e ficou por dias, meses, alguns, os do topo, estão até hoje.

Serão, portanto, 25 destaques, encabeçados pelo tão esperado Top 10. Além deles, como já é tradição aqui no Cenas, teremos outros dois textos um com os melhores filmes brasileiros do ano e outro com os destaques nos festivais.

Espero que gostem. Que 2020 seja um ano cinematograficamente tão diverso e marcante quanto este que está acabando para todos nós!

25. Pássaros de Verão, de Cristina Gallego e Ciro Guerra
24. Família Submersa, de María Alche
23. Rainha de Copas, de May el-Toukhy
22. Estou Me Guardando para Quando o Carnaval Chegar, de Marcelo Gomes
21. 3 Faces, de Jafar Panahi

20. Temporada, de André Novais Oliveira
19. Dogman, de Matteo Garrone
18. O Silêncio dos Outros, de Almudena Carracedo e Robert Bahar
17. Border, de Ali Abbasi
16. Elegia de um Crime, de Cristiano Burlan

15. Guerra Fria, de Paweł Pawlikowski
14. Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
13. A Favorita, de Yorgos Lanthimos
12. Nós, de Jordan Peele
11. Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles

10. Em Trânsito, de Christian Petzold

9. Assunto de Família, de Hirokazu Kore-eda

8. A Vida Invisível, de Karim Aïnouz

7. Eu Não Me Importo se Entrarmos para a História como Bárbaros, de Radu Jude

6. Paddleton, de Alexandre Lehmann

5. Inferninho, de Guto Parente e Pedro Diógenes

4. O Irlandês, de Martin Scorsese

3. Amanda, de Mikhaël Hers

2. Parasita, de Bong Joon-ho

1. Synonymes, de Nadav Lapid

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.
Botão Voltar ao topo