Crítica | Streaming

O Dia em que a Terra Parou

Visto no Cinema(The Day the Earth Stood Still, EUA, 2008)

Ficção Científica

Direção: Scott Derrickson

Elenco: Keanu Reeves, Jennifer Connelly, Jaden Smith, Kathy Bates, John Cleese, Jon Hamm

Roteiro: Harry Bates (conto), Edmund H. North (roteiro de 1951), David Scarpa

Duração: 103 min.

Minha nota: 3/10

Como a minha sorte com filmes não anda nos melhores momentos, resolvi não dar chances para uma decepção e fui direto ver uma produção que eu tinha certeza que seria uma bela porcaria.

Refilmagem do aclamado O Dia em que a Terra Parou, de Robert Wise (que por acaso nunca me agradou muito), e estrelado por um elenco que eu jamais imaginei que veria junto em tela, tinha tudo para fracassar e não perdeu a viagem.

A Terra está sendo destruída pelos homens e uma criatura alienígena chega para destruir a humanidade e assim salvar o planeta e milhares de outras espécies que o habitam.

Além da trilha sonora pouco apropriada para algumas seqüências e de um roteiro fraco, o filme é cheio de todas as coisas que estragam as ficções científicas produzidas lá pelos lados dos Estados Unidos. Para começar, eles sempre são os primeiros alvos e os únicos com potencial bélico e intelectual para combater o mal; tem também aquela mulherzinha linda e cheia de amor para dar que, talvez por gostar da cara do alienígena, resolve ajudá-lo a qualquer custo; uma história pessoal bem dramática e cheia de conflitos e outras coisas mais.

Os efeitos especiais, única justificativa para que a história tenha sido refilmada 58 anos depois, são até interessantes, mas um ou outro passa do limite e não consegue se justificar. Alguns enquadramentos não decepcionam tanto quanto o filme.

O elenco estranho mistura nomes como Jennifer Connely, Kathy Bates e John Cleese. A surpresa fica por conta do pequeno Jaden Smith que, a cada dia que passa, atua melhor do que o pai, mas herdou o mesmo dedo para escolher filmes fracos. Keanu Reeves constrói um personagem tão inexpressivo que poderia ser tranquilamente interpretado pelo cigano Igor.

Esse não funciona nem quando a vontade é de ver um filme do gênero e as exigências são poucas. Melhor passar na locadora mais próxima e procurar o original.

Um Grande Momento

O filme é um grande momento… Parece que não vai acabar nunca!



Links

Site Oficial

Imdb


Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

13 Comentários

  1. Oi Lucas!

    Pois é! Até quando ele pode interpretar um personagem inexpressivo as coisa não saem como deveriam…

    Beijocas

  2. o longa é fraco e entediante (mto). comentei a mesma coisa sobre a atuacao inexpressiva e apatica do keanu (nao só nesse filme). conelly esta linda, preenche a tela.

  3. Oi, gente!!!

    Kaetanus – Ah tá… Agora entendi. É, eu sou bem chata com essas coisas, mas depende da procedência e da possibilidade de ver por outros meios. Hehehe.
    E massacre fílmico é uma boa tradução do que foi a sessão.

    Michel – Até tem tamanho, né? Grande!

    Johnny – Hahahaha. É possível aleijar o Igor?
    Mas mesmo se fosse original, não ia agradar.

    Vinícius – Eu também sinto que não vai te agradar. Hehehe. Mas, realmente, os efeitos são muito bons.

    Kau – Sério? Para mim só se salvam os efeitos e o som.

    Thayze – Pois é. O melhor era ter ido ver o cachorrinho mesmo, mas o Vítor não precisa saber disso, né?

    Filipe – É verdade. Parece que ele anda tendo bastante azar…

    Marcelo – Eu também não sou uma das maiores fãs do original, mas achei o remake totalmente absurdo.
    O Jaden é bonitinho e até trabalha bem, tomara que não seja muito influenciado pelo pai.

    Wally – A coisa estava se desvirtuando de tal maneira que a única coisa que eu pensava era: “Pára!” e não parava nunca…

    Matheus – Dispensável mesmo! Poderia passar sem essa…

    Beijocas a todos!!!

  4. Achei muito fraco e incrivelmente dispensável… Ao menos os efeitos são maravilhosos!

  5. “O filme é um grande momento… Parece que não vai acabar nunca!” HAHAHAHAHAHAHAHAH!

    Muito medo deste filme.

    Ciao!

  6. Mesmo não tendo achado o original um filme excelente, ele é milhares de vezes melhor do que esse remake. Tiraram coisas que não deveriam e acrescentaram coisas desnecessarias que pioraram o filme. E concordo com você, Jaden Smith está atuando melhor do que o pai!! hehehe

    Bjão

  7. Ultimamente, onde o Keanu Reeves se mete só se pode esperar muito pouco…

  8. … como sabe, ainda não vi!
    mas, nota 3, Ciça?
    putz, jurava qe esse siim seria uma boa escolha.. entao, nem fizemos tão mal semana passada (teriamos trocado 6 por meia duzia)

    azar! =/

  9. Cecília, eu adoro o original e achei este remake bem legal, hahahahahaha. Ruim, mas legal.

    Os efeitos visuais, pra mim, são espetaculares.

    Beijos!!!!

  10. Gosto muito do original e sinto que esse remake não irá me agradar tanto assim. Mas os efeitos parecem ótimos.

  11. Poxa Ciça … alejou o Cigano Igor … ehehehehe

    Me lembro de um amigo meu que soltou isso …

    “Só pelo fato de ter feito um upgrade de um clássico marcante da ficção cientifica … já é motivo de desprezo …”

    Abraços

  12. Concordo com você Cecília. O filme é uma porcaria sem tamanho. Uma pena.

  13. O motivo dos filmes novo foi meu desespero para ver os 5 indicados ao globo de ouro de melhor filme dramático. Acabei fracassando, não consegui assistir ainda “the reader”.
    Se vc estiver com um notebook no hotel, posso gravar alguns filmes para vc assistir enquanto está em sampa. quer dizer, isso se sua moral for flexivel assim como a minha para ver filmes piratas. hahhhaahhahah
    Agora… quanto a esse “o dia em que a terra parou”, vou me poupar do que deve ser esse massacre filmico.

    eaheauhuheauehea

    beijos, até mais ver.

Botão Voltar ao topo