Crítica | StreamingFestival Varilux

O Poder de Diane

(Diane a les épaules, FRA, 2017)
Comédia
Direção: Fabien Gorgeart
Elenco: Clotilde Hesme, Fabrizio Rongione, Thomas Suire, Grégory Montel, Alice Butaud, Olivier Rabourdin, Marie Piémontèse
Roteiro: Fabien Gorgeart
Duração: 87 min.
Nota: 8 ★★★★★★★★☆☆
Onde ver: Looke

Diane (Clotilde Hesme, de Canções de Amor) é uma mulher em seus 30 e poucos anos, solteira e que leva a vida de noitada em noitada. Ela concorda em ser barriga de aluguel para um casal de amigos gays, Thomas (Thomas Suire, de Mon arbre) e Jacques (Grégory Montel, de Inocência Roubada). Durante essa gestação ela se muda para uma antiga casa dos avós, e se envolve num relacionamento com o eletricista Fabrizio (Fabrizio Rongione, de O Silêncio de Lorna). O Poder de Diane é o primeiro longa metragem do diretor Fabien Gorgeart e apresentado no Festival Varilux de Cinema Francês.

O filme abre com uma cena de balada, música alta e luzes piscam. O diálogo desajeitado de uma paquera já nos apresenta à personagem título: uma mulher desapegada e livre. Em contraponto a essa realidade, Diane resolve passar a gestação numa antiga casa de campo, quase um retiro.

O Poder de Diane (2018)

Diane é, sem dúvida, uma mulher forte, às vezes literalmente: ela não se intimida em derrubar uma parede a marretadas, e dispensa a atenção do recém amigo ao deslocar o ombro. Mas, o poder de Diane é o poder feminino. Forte, segura, decidida e agora gerando uma vida. Em seu relacionamento com Fabrizio deixa claro suas opiniões, e chega a ser apontada como “grossa” por isso.

A atriz Clotilde Hesme é casada com o diretor, Gorgeart, na vida real, e O Poder de Diane foi rodado durante a sua real gestação. Fato enriquecedor para a construção da personagem – e Clotilde aparece muito plena e segura no papel -, bem como para a criação de belas cenas de Diane expondo seu barrigão na piscina, por exemplo.

O Poder de Diane (2018)

A temática da barriga de aluguel e do desapego da ‘mãe’ para o bebê gerado é levantada em segundo plano, de forma mais sutil, mas com a sensibilidade do cinema francês. Nessa jornada, da sua gestação e seu relacionamento mais duradouro, com Fabrizio, Diane aprende muito sobre si e sobre sua vida desapegada de antes.

Um Grande Momento:
Choro engasgado.

Pôster de O Poder de Diane

[Festival Varilux em Casa]

Danielle Alvarenga

Danielle Alvarenga é das artes. Designer de formação e fotógrafa por paixão. Cinéfila e viajante de carteirinha. Tem cursos na área de crítica e linguagem cinematográfica, no escurinho do cinema ou na poltrona de casa encara toda e qualquer produção da sétima arte.
Botão Voltar ao topo