Crítica | Streaming

Star Trek

(Star Trek, EUA/ALE, 2009)

Desde que sou pequena conheço Jornada nas Estrelas. Filha de um fã da série sabia quem eram alguns dos personagens, mas sempre me confundia com os nomes. Depois de mais velha passei a ver alguns episódios das séries mais novas, mas ainda sem muita atenção. A coisa mudou mesmo com um namorado que, fã de carteirinha, me fez assistir a vários episódios e a todos os filmes lançados depois do seriado original.

Claro que a confusão de nomes permaneceu, mas o universo da U. S. Enterprise já era bem mais familiar. Mas depois de tanto tempo sem uma novidade e do fim do namoro, as aventuras da Frota Estrelar foram ficando para trás e, pelo visto, esfriaram na vida de muitas pessoas, não só na minha.

Com o lançamento do novo filme, a coisa tinha uma chance de mudar, além de chamar a atenção de um monte de gente que nunca ouviu falar do planeta Volcano e muito menos sabia que existiam romulanos voando por aí.

Tinha chances de dar errado, mas nas mãos J. J. Abrams (Missão Impossível 3), um dos produtores mais bem sucedidos da atualidade e Trekkie, elas eram pequenas.

Na tela, vemos a história recontada de James T. Kirk, um jovem rebelde e que inconformado com a morte do pai e a ausência da mãe passa os dias aprontando todas, até que acaba sendo convidado para ingressar na Frota, onde seu pai servira e morrera.

Durante os treinamentos, Kirk conhece Spock, um inteligente e dedicado volcano e, mesmo sem se darem muito bem, os dois precisam agir juntos para salvar o planeta Terra de uma vingança.

No final das contas o filme é bem interessante e sabe como aproveitar bem os muitos efeitos especiais. Rever muitos dos personagens é divertido, mesmo para aqueles que só conhecem os nomes principais.

O roteiro de Roberto Orci e Alex Kurtzman (Transformers) sabe como dosar as ações e consegue se explicar na maioria das vezes, mas escorrega aqui e ali, principalmente quando a intenção era homenagear a antiga série de televisão.

A participação do diretor e eterno Spock, Leonard Nimoy, por exemplo, foi muito legal e completamente merecida, mas foi mais esticada do que precisava. Outras situações são tão coincidentes que acabam atrapalhando também.

Por outro lado, as modificações justificadas por uma realidade aleatória, já que algo alterou o passado, possibilitaram muitas novas histórias interessantes. Uma delas é o distanciamento de Kirk e Uhura, quando os dois foram os protagonistas do primeiro beijo inter-racial da televisão, e a proximidade da tenente com Spock.

O filme acabou sendo uma ótima maneira de chamar novamente, ou pela primeira vez, a atenção do público para a antiga história e criar mais uma franquia de filmes em série.

Mas, independente de motivos e pretensões, é uma excelente diversão para o pessoal que gosta de tramas espaciais, com muitas naves e teletransportes. Aqueles que gostam de filmes agitados também não podem perder.

Os fanáticos pelo seriado podem achar uma ou outra coisa ruim, mas no final das contas vão gostar de rever os personagens e todo aquele maquinário tecnológico.

Um Grande Momento
O teletransporte para a nave romulana.

Logo-Oscar1Oscar 2010
Melhor Maquiagem (Barney Burman, Mindy Hall, Joel Harlow)

Links

Submarino

 

Ficção Científica
Direção: J. J. Abrams
Elenco: Chris Pine, Zachary Quinto, Leonard Nimoy, Eric Bana, Bruce Greenwood, Karl Urban, Zoe Saldanha, Simon Pegg, John Cho, Anton Yelchin, Ben Cross, Winona Ryder
Roteiro: Gene Roddenberry (série), Roberto Orci, Alex Kurtzman
Duração: 126 min.
Minha nota: 8/10

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

12 Comentários

  1. Conheço os filmes e a seria assim meio a distancia nunca tive interesse, mas o trailer desse me despertou sim vontade de ver esse novo e conhecer mais os antigos filmes…

    Nossa demais esse esquema novo do seu blog hein parabens, essa noticias q ficam no cabeçalho, demais!!

  2. Oi, gente!

    Para variar estou enrolada de novo…

    Robson – É divertido! E acho que vai agradar também aqueles que não conhecem a série.

    Isabela – Esse negóicio de nota é sempre meio complicado. Hehehe.
    Eu acho que o filme supreendeu positivamente muita gente, apesar de alguns detalhes.
    “Esticada” porque bastava aquela primeira aparição. Estava ok e foi legal. Mais do que ela é exagero e destacou uma falha de roteiro.
    “Coincidentes” porque acontecem forçando a barra, sabe? Duas pessoas caírem exatamente no mesmo lugar é fácil demais, não?

    Johnny – Nossa! Mas o ano ainda nem começou direito… Hehehe
    Eu acho que não é tudo isso não, mas foi uma boa surpresa e tem grandes qualidades, mas, para mim, tem defeitos também.

    Sérgio – Como disse para o Robson, acho que o filme vai conquistar até quem não conhece a série. Isso se não fizer o pessoal mais novo se interessar pelo antigo seriado.

    Marcio – Corre lá, Homi! Agora que saiu no Correio tem que estar com os blockbusters na ponta da língua! hehehe.

    Amanda – É engraçado como a gente acaba se envolvendo com a série, né? Acho que você vai gostar dos filmes.

    Wally – Eu não sou tão J. J. Abrams como a maioria de vocês, mas reconheço o tino comercial do rapaz!
    Particularmente, prefiro os seriados aos filmes, de longe. E nem sei se eles fazem alguma diferença.

    Pedro – Quero só ver o que você vai achar!

    Fred – Ah, esse negócio de nota é um problema. Demorei para colocar e acho super complexo. Por exemplo, 7 para mim é uma boa nota…

    Beijocas para todos!

  3. Taí uma coisa que esqueci de mencionar na minha crítica: a participação de Leonard Limoy foi realmente mais esticada do que devia e no final, ainda gerou uma cena desnecessária e que dava margem a diversos furos no roteiro. Mas acho que o 7 foi econômico. O filme merece um pouco mais de generosidade na nota! =)

  4. To muito curioso para conferir o filme, dado os elogios que venho lendo e o diretor por trás. Esta semana comecei minha maratona dos 10 filmes da série. Em Domingo eu confiro este décimo-primeiro.

    Ciao!

  5. Também, Márcio. Também… Sou fã da série clássica, nunca curti os filmes, muito menos as demais versões da série, esse filme está cheio de expectativas…

    Cecília, assim como você, conheci melhor Star Trek através do meu namorado. Ele tem o DVD das três temporadas (série clássica) e eu fui me fascinando…

  6. Preciso conferir, ainda não tive tempo e estou aqui me doendo por isso!

  7. Conheço quase nada da saga, mas estou bastante interessado em conferir, já que sou fã do gênero. E bom saber q muita gente está gostando.

    Abraço

  8. Ciça, considero um dos melhores filmes do ano …

    Um espetaculo do inicio ao fim. Desde primeiro acorde ao termino dos créditos finais. Nunca me senti tão orgulhoso como cinefilo em ver não só apenas uma adaptação e sim, da perfeição precisa de como deve ser um blockbuster de verdade.

    Além de tirar algumas filosofias … mas isso é pra depois e acredite, não sou um trekker mas sou bom em reconhecer uma ficção foda …

    Abraços

  9. poxa, 7/10? por que?
    achei o filme tão bom! Eu fui morrendo de medo, pois sou fã da série antiga, mas o filme me surpreendeu positivamente!

    “A participação do diretor e eterno Spock, Leonard Nimoy, por exemplo, foi muito legal e completamente merecida, mas foi mais esticada do que precisava.” – como assim, mais esticada?

    “Outras situações são tão coincidentes que acabam atrapalhando também.” – isso é ruim? Eu achei interessante a relação com episódios/filmes antigos

  10. Não conheço o seriado nem nada, mas estou curioso pra ver o filme!

Botão Voltar ao topo