Crítica | Streaming

Yesterday

(Yesterday, GBR/RUS/CHI, 2019)
Comédia
Direção: Danny Boyle
Elenco: Himesh Patel, Lily James, Sophia Di Martino, Ellise Chappell, Meera Syal, Harry Michell, Vincent Franklin, Joel Fry, Ed Sheeran, James Corden, Robert Carlyle
Roteiro: Jack Barth, Richard Curtis
Duração: 116 min.
Nota: 8 ★★★★★★★★☆☆

Você conseguiria imaginar um mundo em que as pessoas não sabem cantar “Yesterday”? Um dia em que você cantasse “Let It Be” e ninguém te desse atenção, porque não é uma música conhecida? Essa se tornou a vida de Jack (Himesh Patel) após um apagão mundial que o fez sofrer um acidente e despertar em uma realidade onde os nomes John Lennon, Paul Mccartney, George Harrison and Ringo Starr eram completamente desconhecidos.

O longa, dirigido por Danny Boyle, conta a história de Jack Malick (Himesh Patel), um cantor fracassado que sempre teve o apoio de sua amiga Lily James (Ellie) em suas tentativas frustradas de fazer sucesso, e que, no dia em que decidiu abrir mão de tudo, sofreu um acidente que lhe gerou duas descobertas horríveis (uma bem pior que a outra, convenhamos): ele perdeu os dentes da frente e ninguém mais no mundo conhecia os Beatles.

O então fracassado cantor viu a oportunidade de se apropriar das canções da renomada banda inglesa e, após divulgar algumas delas, o sucesso foi inevitável. É impressionante o cuidado de Boyle ao fazer menções às músicas, ouso dizer, mais marcantes da banda, deixando inúmeras referências ao longo do filme e demonstrando o desespero do protagonista em tentar lembrar todas as letras e cifras de cabeça, sem poder consultar nenhum site de busca.

Além de todas as referências, Yesterday ainda nos faz sentir uma dor, quase física, ao vermos que as músicas dos anos 70 não seriam recebidas no mercado musical atual da mesma forma que foram naquela época, razão pela qual alguns arranjos são refeitos, as capas dos álbuns sofrem alterações grotescas e a letra da maravilhosa canção Hey Jude sofre uma espécie de atentado ao ser transmutada em “Hey Dude”.

Paralelamente ao sucesso absurdo que o protagonista consegue fazer, ele se vê em uma verdadeira sinuca de bico, tendo que resolver um dilema moral de se apropriar das músicas de outras pessoas ou revelar a real autoria das canções e, ainda, um dilema emocional entre fazer sucesso e turnês mundiais ou ficar ao lado de sua amiga Ellie.

Yesterday tem inúmeras passagens emocionantes, traz à tona diversos sentimentos e retrata bem como fãs de Beatles reagiriam se vissem que somente uma pessoa além deles lembra de todas as músicas. Vale destacar que, no decorrer da história, Malick faz outras descobertas de coisas que sumiram do mundo, mas a surpresa não chega nem aos pés do desespero de cantar “Help!” e ninguém saber a letra.

As atuações são, talvez propositadamente (para não tirar o foco da história em si), medíocres para boas, não deixam a desejar, mas não merecem um maior destaque, com ressalva à tocante participação de Robert Carlyle, genial.

Um Grande Momento:
— It’s so good to see you. How old are you?
— Seventy-eight.
— Fantastic! You made it to seventy-eight!

Links

IMDb

Daniela Strieder

Advogada e ioguim, Daniela está sempre com a cabeça nas nuvens, criando e inventando histórias, mas não deixa de ter os pés na terra. Fã de cinema desde pequenina, tem um fraco por trilhas sonoras.
Botão Voltar ao topo