Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros

(Abraham Lincoln: Vampire Hunter, EUA, 2012)
[box]Ação
Direção: Timur Bekmambetov
Elenco: Benjamin Walker, Mary Elizabeth Winstead, Dominic Cooper, Anthony Mackie, Rufus Sewell, Marton Csokas, Jimmi Simpson, Joseph Mawle, Robin McLeavy
Roteiro: Seth Grahame-Smith
Duração: 105 min.
Nota: 3 ★★★☆☆☆☆☆☆☆[/box]

Releituras, remakes, reboots, versões… a modinha da vez no cinema americano. E infelizmente tem rolado muita coisa ruim, vide as Brancas de Neve, O Legado Bourne, Quarentena, A Casa Silenciosa e tantos outros. Agora acrescente a isso vampiros, como aqueles da Saga Crespúsculo. Algo curioso, instigante, inovador, certo? Não. Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros não tem como se salvar e sofre os dois piores males dos filmes atuais: uma versão desinteressante da vida do presidente mais famoso dos Estados Unidos e a história de como este personagem histórico vira um implacável caçador de vampiros, também bem pouco interessantes.

O filme é uma adaptação do livro de Seth Grahame-Smith, que também assina o roteiro, e conta a vida secreta do presidente que, na verdade, definiu a história do país. O autor faz uma grande colagem de fatos reais com histórias fantásticas envolvendo muitos vampiros e justificando assim grandes acontecimentos históricos. Grahame-Smith é conhecido por misturar o clássico com o fantástico, assim como fez em seu outro livro “Orgulho e Preconceitos e Zumbis”. No cinema, ele foi o responsável pela adaptação de Sombras da Noite e está cotado para a continuação de Os Fantasmas se Divertem.

A mãe do jovem Abraham (Benjamim Walker) é assassinada por um vampiro e ele cresce em busca vingança. Henry Sturges (Dominic Cooper), é um exímio conhecedor desses seres do mal e ao conhecer Abe decide treiná-lo como caçador. Nessa jornada de treinamento, caçada, estudos de direito, política e vigança, ele tem a ajuda dos amigos Joshua Speed (Jimmi Simpson) e Will Johnson (Anthony Mackie), apaixona-se por uma bela moça, Mary Todd (Mary Elizabeth Winstead) e luta contra os vampiros malvadões Adam (Rufus Sewell) e Jack Barts (Marton Csokas).

Mas porque o filme é ruim? Por causa da história de vampiros? Por causa da releitura? Sim, por isso e por muitas outras coisas. Uma delas é o roteiro fraco que não desenvolve um herói minimamente interessante, prejudicado pela passagem de tempo meteórica que faz de um garoto o presidente dos EUA no meio da Guerra Civil, em um passe de mágica. E isso prejudica todos os outros personagens igualmente bem poucos atraentes.

Com o roteiro ruim e a direção bem pouco criativa (apesar de acelerada) de Timur Bekmambetov, temos um filme sério demais. E não dá para levar a sério Abraham Lincoln rodando um machado e decapitando dezenas de vampiros. Mas o filme queria ser visto assim, o que é seu maior defeito. Seria melhor, por exemplo, se se apoiasse na ideia do absurdo e propusesse algo mais parecido com quadrinhos ou apostasse na vida dupla do herói, fazendo assim um retrato pop tão mais interessante do que o Abraham sisudo que conhecemos da famosa escultura.

Outro problema são os efeitos especiais bastante forçados e de baixa qualidade (uma certa cena com cavalos), assim como o 3D desnecessário. As diversas cenas cheias de fumaças parecem querer mascarar a qualidade duvidosa. Caleb Deschanel, diretor de fotografia de A Paixão de Cristo, realizou aqui um trabalho bem fraco.

Para não ficar a impressão de um filme totalmente ruim, vale ressaltar algumas boas cenas de ação, como nas primeiras lutas de Abe. Bem coreografadas, com uma direção de arte gore (sangue, muito sangue!) e com alguma tensão graças à mão de Bekmambetov, que assim como em O Procurado, com essas cenas, consegue dar um bom ritmo ao filme.

Um fato divertido (e curioso) é a enorme semelhança do Abraham envelhecido com o ator Liam Neeson, que havia sido a escolha inicial de Steven Spielberg para viver Lincoln em seu filme sobre o presidente americano, com estreia prevista no Brasil para fevereiro de 2013. Inúmeras vezes a sensação era a de que realmente era Neeson e não Walker no personagem.

Com uma premissa que tinha tudo para ser interessante, Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros não passa de uma aposta fraca. Com um nome como esse, o filme vai levar muita gente curiosa aos cinemas e é uma pena que ele não tenha sido trabalhado para surpreender, sendo quadrado demais, sério demais. Fica a chance de ver algumas boas cenas de ação e só.

Um Grande Momento

A luta no trem, junto com Will.

Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros

Links

[imdb href=”http://www.imdb.com/title/tt1611224/”] [site href=”http://www.abelincolnvampirehunter.com/”]

Pin It on Pinterest

Share This