estante

Corpo

Visto no Cinema(Corpo, BRA, 2007)

Drama

Direção: Rossana Foglia, Rubens Rewald

Elenco: Leonardo Medeiros, Chris Couto, Rejane Arruda, Regiane Alves, Louise Cardoso

Roteiro: Rossana Foglia, Rubens Rewald

Duração: 90 min.

Minha nota: 5/10

Na minha última viagem a Sampa, que por acaso ainda não acabou, tive como companheira a minha filha. Ela, além de adorar a cidade, aproveitou para conhecer o cinema mais perto do lugar que estávamos.

O primeiro título escolhido por nós duas foi Corpo. Uma produção brasileira que, apesar de não ter a melhor sinopse do mundo, acabou nos chamando atenção. O filme conta a história de um médico legista que, fascinado por corpos, acaba encontrando um corpo de mais de 30 anos que não apresentava sinais de decomposição.

A busca pela história do corpo é o enredo do filme. Para chegar àquela identidade, ele procura por pistas em vários lugares, inclusive nos velhos arquivos da ditadura militar. É assim que conhece Fernanda, uma jovem idêntica ao corpo intacto.

Apesar de alguns deslizes de ritmo e algumas viagens nada a ver, o tema do filme é bem interessante e a dúvida da platéia vai sempre em um crescente. É justamente depois de ter o público na mão que o filme vacila. Ele não sabe como terminar tudo aquilo que propôs até aí e não consegue fazer jus à tensão criada.

O roteiro não consegue se socorrer nas atuações, mas tem Leonardo Medeiros, que acho perfeito para papéis comedidos como o do médico legista Artur. O resto do elenco não é bom, nem ruim. Simplesmente segue o ritmo sem comprometer o resultado.

Uma outra coisa que pode incomodar é a mesma velha história da ditadura militar, um dos temas mais filmados e refilmados do cinema nacional e que, em meio a tantas outras produções melhores, parece um pouco mais forçado do que precisava ser.

Mas, apesar dos pesares, foi uma boa tentativa e talvez filmes melhores da dupla de diretores/roteiristas estejam a caminho. O corpo eles souberam montar direitinho, só erraram a mão na hora da dissecação do cadáver.

Não é fundamental, mas não é tão fraco que mereça ser desprezado. Uma boa pedida para aqueles que não perdem títulos nacionais e para os dias em que não existem mais novidades para conferir.

Um Grande Momento

Fernanda vai embora do restaurante.



Prêmios e indicações
(as categorias premiadas estão em negrito)

Festival Internacional de São Paulo: Prêmio Internacional do Júri

Method Fest: Filme Estrangeiro

Links

Site Oficial

Imdb

 

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

5 Comentários

  1. Oi gente!!!

    Hugo – Eu confesso que Não Por Acaso me fez gostar mesmo de Leonardo Medeiros. O filme é muito interessante mesmo, mas não tão bem aproveitado.

    Mirian – Acho que é normal termos esse receio das produções nacionais, mas as coisas estão bem diferentes hoje em dia. É muito mais fácil conferirmos títulos de qualidade. Os fracos acabam sendo poucos.

    Wally – A divulgação foi bem fraca mesmo. Talvez pelo resultado final, sei lá.

    Louis Vidovix – É passável mesmo…

    Beijocas a todos

  2. Cecilia, esse eu ainda não vi e pretendo passar adiante!

    Abraço!

  3. Não ouvi falar muito dele e sua crítica me deixou ainda menos intrigado…

    Ciao!

  4. Não assisti ainda, mas quando se trata de filmes nacionais fico um pouco receosa.
    Beijos

  5. Este filme ainda não assisti, mas parece interessante. O ator Leonadro Medeiros esteve muito bem no bom filme “Não Por Acaso”.

    Bjos

Botão Voltar ao topo
Fechar