festivaisMostra SP

La llorona

(La llorona, GUA/FRA, 2019)
Terror
Direção: Jayro Bustamante
Elenco: María Mercedes Coroy, Sabrina De La Hoz, Margarita Kenéfic, Julio Diaz, María Telón, Juan Pablo Olyslager, Ayla-Elea Hurtado
Roteiro: Jayro Bustamante
Duração: 97 min.
Nota: 8 ★★★★★★★★☆☆

Um ex-general tem que responder pelos seus crimes de guerra enquanto sua saúde se esvai. Tornado cativo na própria casa, junto a família – esposa, filha, neta e empregada –, ele se esconde e se esgueira para não despertar a atenção do povo que, do lado de fora, urge por justiça e paz para seus mortos.

No lado de dentro, o vazio toma conta, a casa está praticamente abandonada pelos empregados que fugiram. Então, de repente, surge a indígena Alma, cuja presença alavanca uma série de acontecimentos traumáticos.

Orbitando entre realidade e o sonho mais tempestuoso, a película de Jayro Bustamante se apoia em uma famosa lenda latino-americana (da mãe que perdeu os filhos e, como desencarnada, vaga pelo mundo chorando por eles e clamando por vingança) para recontar os traumas provocados por genocidas como o ex-general, que matavam em nome da “ordem e do bom funcionamento do país”. A maneira que as mulheres ao redor desse homem, desse alvo, se relacionam e se curam é de uma potência estarrecedora.

Belíssimo enquanto produção, o filme traz um trabalho vigoroso e delicada de direção, com escolhas de enquadramentos e super closes que tensionam tornando a história que se desenrola ainda mais triste e envolvente.

Se apoiando em flashbacks e delírios com um quê de lynchiano ou cronenbergiano, La llorona usa a ambiência do sobrenatural para tratar de uma dura verdade: como ditaduras sanguinárias carregaram vidas de inocentes ao redor do globo – e de que maneira essa cobrança sempre chega. O karma é o alento.

Um Grande Momento:
Perseguida pelo velho coronel até a banheira

Links

IMDb

[43ª Mostra de São Paulo]

Lorenna Montenegro

Lorenna Montenegro é crítica de cinema, roteirista, jornalista cultural e produtora de conteúdo. É uma Elvira, o Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema e membro da Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA). Cursou Produção Audiovisual e ministra oficinas e cursos sobre crítica, história e estética do cinema.
Botão Voltar ao topo
Fechar