Crítica | StreamingFIC Brasília

Ninho Vazio

(El Nido Vacío, ARG/ESP/FRA/ITA, 2008)

Drama

Direção: Daniel Burman

Elenco: Cecilia Roth, Oscar Martínez, Arturo Goetz, Inés Efron, Ron Richter, Eugenia Capizzano, Jean Pierre Noher

Roteiro: Daniel Burman

Duração: 91 min.

Minha nota: 7/10

Quem conhece o diretor e roteirista Daniel Burman sabe que sair da sala de cinema tocado pela história que acabou de assistir é algo bastante comum.

Depois de O Abraço Partido e As Leis de Família, ele traz às telas uma comovente história de dois adultos maduros que têm que reaprender a viver depois que os três filhos saem de casa. O casal, que se vê sozinho depois de muitos anos, sofre com as mudanças e as atitudes desconhecidas do parceiro.

Ela volta à faculdade de sociologia, abandonada há muitos anos, e à agitada vida de estudante, com festas em casa e saídas depois das aulas, além de estreitar as relações com os antigos amigos também.

Ele não consegue se adaptar tão bem e passa os dias buscando o passado, seja através de seu aeromodelo, dos brinquedos dos filhos, de antigas fotografias ou da jovem e bela dentista que conhece.

O filme é muito bonito e encontra muito de sua força em seu casal principal, interpretado por Cecilia Roth e Oscar Martínez. Os dois, como sempre, estão muito bem.

A bela história cativa o espectador, que quase não nota o tempo passar. E a liberdade do diretor ao adicionar elementos de outros gêneros de cinema é, no mínimo, bastante curiosa.

Uma boa pedida para qualquer um, mas aqueles que já têm filhos podem gostar ainda mais do filme.

Totalmente indicado para casais antigos, pois algumas cotoveladas do tipo “igual a você” podem acontecer durante a projeção.

Um Grande Momento

O bolero de Ravel no shopping.


Links

Site Oficial

Imdb


Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

Um Comentário

  1. Oie!

    Bruna – Realmente, depois de tantos filmes duros, este foi como ver a luz novamente e sem se cansar!

    Breno – Eu acho que o cinema com poucos personagens é uma constante, mas agora ele realmente está se destacando mais. Uma coisa é certa: é menos dispendioso!

    Kau – Eu achei o roteiro uma gracinha. É daqueles que a gente tem que assistir para relaxar.

    Jacques – Eu acho que é uma boa pedida mesmo!

    Beijocas para vocês!

  2. Burman sempre tocando nos temas de família. Este nao assisti, mas parece uma boa pedida. Bjos.

  3. Cecília Roth é uma atriz fabulosa. Gostei muito da premissa deste filme, mas o roteiro não me agradou.

    Bjos, Cecília!

  4. Diários de Motocicleta também é uma produção América do sul/Europa, fazendo uma célebre comparação,eu queria saber se esse foco em pouquísimos personagens é um TRUNFO para essa parceria de produção?
    DETALHE: Não vi ninho vazio.

    beijos Ciça

  5. Esse filme foi um alívio, um suspiro de satisfação depois de tantos filmes “porrada” vistos no FIC. Adorei ver um filme simples e cativante como esse. Ainda bem! :)
    Beijão.

Botão Voltar ao topo