Crítica | FestivalFIC Brasília

Aos Hespanhois Conphinantes

(Aos Hespanhois Conphinantes, BRA, 2008)

Aventura

Direção: Angelo Clemente Sganzerla

Elenco: Édio Nunes, Gilbas Piva, João Bosco, Marcello Trigo, Raul Ferreira, Sandro Maquel

Roteiro: Othon D’Eça (livro), Angelo Clemente Sganzerla

Duração: 85 min.

Minha nota: 7/10

Este foi um dos filmes que mais fiquei curiosa para conferir no Festival, mas o tempo todo tentei me segurar, pois expectativa demais sempre pode estragar um filme.

Dirigido e roteirizado por Angelo Clemente Sganzerla, o filme conta a história de uma comitiva formada em 1929 para solucionar os problemas territoriais de Santa Catarina. A mata fechada e o perigoso rio Uruguay são enfrentados por esses homens para resolver a falta de acesso ao extremo oeste do estado, a bandidagem na fronteira com o Rio Grande do Sul e a invasão argentina nas áreas fronteiriças.

Todo filmado em preto e branco e como a estética variando entre antigos documentários rápidos, cinema mudo e cinema moderno, o que mais chama a atenção no longa é a criatividade e a solução para muitos dos elementos de cena, principalmente ao sabermos que o filme foi quase todo rodado em estúdio.

A maioria dos atores está bem. Soltos, parecem ter entendido bem as idéias e a atuação esperada pelo diretor. Alguns demonstram nervosismo e aquela cara de “não posso olhar para a câmera” em alguns momentos, mas não aparecem tanto e, por isso, não comprometem.

O filme segue bem, mesclando comédia, drama e aventura e até as inserções narrativas são muito bem calculadas. O cuidado com o som do filme; a fotografia, assinada por Edison Fattori, e a montagem, de Tiago dos Santos, merecem destaque.

A única coisa que me incomodou foi uma quebra muito brusca e longa do meio para o final. Apesar da boa intenção, ela faz com que o ritmo caia muito e gera uma expectativa negativa nos espectadores. Mas a recuperação acontece logo depois e o filme termina muito bem.

Bom para ser visto em qualquer momento e com qualquer astral, é uma excelente demonstração de como o cinema brasileiro é rico em estilos e em mentes fervilhantes de idéias.

Totalmente indicado!

Um Grande Momento

Na porta da igreja.

Links

Site Oficial

 


FIC Brasília 2008

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

5 Comentários

  1. Caro Ângelo,

    Perdemos contato. Mudou o seu fone e não tenho o seu e-mail. . .

    Aguardo um retorno pra gente conversar. 9621.7403 / 3248.2006

  2. Nossa, eu adorei esse filme! Mas minha cena preferida foi a do Roberto Marinho vendendo jornal… Huahua…

  3. Olá!

    Kau – Esse festival foi ótimo! Muitos filmes ótimos, como este. Claro que outros foram bem ruins, mas é sempre assim, né?

    Angello – Obrigada pelos elogios! Quero dizer aqui que foi um prazer conhecer você e o seu trabalho. É de filmes assim que nós estamos precisando.

    Beijos

  4. CECILIA,

    COMO DIRETOR DO FILME “AOS HESPANHOIS CONPHINANTES” venho dizer que sua analise sobre o filme está perfeita.Uma visão critica e apurad sobre o filme em todos os sentidos.

    Para o Kau peço que ele assista o filmes e verá que realmente AOS HESPANHSOI CONPHINANATES está acima da média, e bom espetaculo.

    Angello Cllemente Sganzerla

  5. Analisando suas notas, Cecília, até que tudo está meio que acima da média né? Só algumas bombas…

    Bjos!!

Botão Voltar ao topo
Fechar