Crítica | Streaming

Como Se Fosse a Primeira Vez

Visto na TV(50 First Dates, EUA, 2004)

Comédia/Romance

Direção
: Peter Segal

Elenco: Adam Sandler, Drew Barrymore, Rob Schneider, Sean Astin, Dan Aykroyd, Blake Clark, Lusia Strus, Amy Hill, Pomaika’i Brown

Roteiro: George Wing

Duração: 99 min.

Minha nota: 6/10

Que eu tenho uma implicância forte com o comediante Adam Sandler muita gente já sabe. Foi por isso que deixei de ver muitos dos filmes pelo simples fato do nome dele nos créditos inciais. Só depoois de ver Click no cinema (obrigada) é que resolvi dar uma chance para as comédias românticas do rapaz.

Claro que não aluguei nenhum dvd, mas também não mudei quando os filmes começaram na televisão. O primeiro a ser assistido por completo foi Afinado no Amor, que achei bem fraquinho. O segundo foi Como Se Fosse a Primeira Vez, com a mesma Drew Barrymore.

A aura bobinha do filme e uma cara inconfundível de Sessão da Tarde fez com que eu o visse mais de uma vez (porque Sessão da Tarde que se preze a gente vê várias vezes) e gostasse bastante do resultado.

Mesmo com Sandler fazendo o mesmo papel de bobão e ainda com uma participação ridícula de Rob Schneider, a história de um homem apaixonado por uma mulher que não consegue se lembrar de tudo que aconteceu no passado próximo e se dedica a conquista-la todos os dias de sua vida é tão bonitinha que vale a sentada na frente do televisor.

As interpretações não são fantásticas, muitas das piadas são batidas e a qualidade técnica não é tão grande assim, mas a química entre Barrymore e Sandler funciona e a historinha consegue manter o espectador atento, mesmo quando apela para os constantes clichês do gênero. Todos estão lá: o curso do romance, os amigos bobões, o pai zeloso e até aqueles clipes musicais tão comuns.

Além disso, a trilha sonora é maravilhosa e mistura músicas dos Beach Boys com Paul McCartney, Snoop Dogg, Israel Kamakawiwo’ole (uma excelente versão de Over the Rainbow), Bob Marley, No Doubt, Seal e UB40, deixando tudo muito mais interessante.

É daqueles programas que não precisam ser agendados previamente. Quanto mais ocasional, melhor, pois aquela sensação de “que bonitinho” acontece.

Claro que quem não gosta do gênero não precisa se aventurar.

Um Grande Momento

O vídeo.



Prêmios e indicações
(as categorias premiadas estão em negrito)

MTV Movie Awards: Filme, Atriz (Drew Barrymore), Ator (Adam Sandler), Time em Cena (Drew Barrymore e Adam Sandler)

Links

 

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

Um Comentário

  1. Oi Maraysa!

    Eu sou bem manteiga derretida também. Outro dia vi Click duas vezes e chorei nas duas. Hehehe.
    Acho que o Sandler podia fazer uma oficina de choro comigo…
    Rob é o cara cheio de filhos. Ele é uma desgraça.
    O irmão da Drew é o Sean Astin e eu até gosto dele. Ele é o principal em Os Goonies, sabia?

    Beijocas

  2. Acho que já vi esse filme umas 5 vezes, e todas ocasionais!
    A primeira vez que vi, confesso que até chorei, pq sou boba pra chorar mesmo… Fiquei pensando no lado psicológico da coisa (não caio nas brincadeirinhas das comédias, pego mais a essência como um todo). É uma história boa, embora o Sandler chore muito mal, acho que caiu direitinho na estética do que o diretor queria.
    E esse Rob que vcs falam é quem? O que fez o irmão da Drew? Se for… Bah, ele é um horror. Tbm odeio os personagens amigos do Sandler (aquele andrógeno e o outro cabeludo cheio de filhos… são lastimáveis.).
    Mas a Barrymore está ótima e acho o filme muito fofo.
    =)
    (Primeira vez aqui nesse blog!)

  3. Oi, gente!!!

    L F – Eu pensei que nunca diria isso de um filme estrelado por Sandler, mas também adoro!

    Alex – Hahaha. A minha nota também já foi 7. Eu também gosto dos dois atores juntos.

    Robson – Mas você não é muito fã de comédias, né?

    Marcelo – Eu não sei como é que alguém ainda chama Rob Schneider para fazer filmes. Ele é muito ruim… E, realmente, o Sandler não sabe chorar muito bem.

    Weiner – Sério? Eu acho que ele é o maior mala de Hollywood. Hehehe.

    O Cara – Eu também acho super bonitinho… Mas esse é um dos poucos filmes até agora.

    Hugo – Não é totalmente Sessão da Tarde??

    Marcio Melo – Adorei o “razoavelmente bonzinho”. O filminho é tão simpático que até a gente fala mal dele bonitinho… Hahahaha.

    Beijocas para todo mundo!!!

  4. Não é um filme de todo o mal, achei razoavelmente bonzinho.

    Sua análise está muito boa

  5. Seéério? Acho o filme tão bonitinho, rs… Eu também sou daqueles que gostam do bobo do Adam Sandler, rs…

    abraços…

  6. Sinceramente gosto de quase tudo que o Adam sandler faz, ele é muito engraçado!
    Bjs!

  7. Gosto do filme, mas as únicas coisas que a cada vez que revejo parecem cada vez piores são Adam Sandler e Rob Schneider. Fala sério, ninguém chora pior do que Sandler! (e isso é o de menos) hehehe
    Bj

  8. Eu gostei muito desse filme, ainda que numa revisão a nota que dei na primeira vez tenha diminuido. As piadas funcionam muito bem com o filme, que revela uma sensibilidade surpreendente nos seus instantes finais. Drew Barrymore e Adam Sandler deveriam trabalhar mais vezes juntos e Peter Segal é um ótimo diretor de comédias.

Botão Voltar ao topo