Festivais e mostras

Resultado do 61° Festival de Cannes

Saiu hoje o resultado do Festival de Cinema de Cannes, um dos mais cobiçados e concorridos festivais da sétima arte.

Neste ano, dois filmes brasileiros concorreram à Palma de Ouro, mas o prêmio ficou com o filme francês Entre les murs, do diretor Laurent Cantet.

O prêmio de melhor atriz ficou em mãos brasileiras, Sandra Corveloni que, apesar de ser estreante, conquistou o júri com sua atuação no filme Linha de Passe. Ela foi a única do elenco que não pôde estar presente à cerimônia, mas foi representada por Daniela Thomas e Walter Salles, diretores do longa.

Outro brasileiro premiado no festival foi o diretor Bruno Bezerra e seu filme Muro. Assinando a direção com o pseudônimo de Tião, o pernambucano levou o prêmio Um Novo Olhar (Un Regard Neuf), categoria destinada às produções ainda mais alternativas.

Confira abaixo a lista de todos os premiados, em todas as categorias.

Palma de Ouro: “Entre les murs”, do francês Laurent Cantet

Grande Prêmio do Festival: “Gomorra“, do italiano Matteo Garrone

Prêmio do Júri: “Il Divo”, do italiano Paolo Sorrentino

Melhor Atriz: Sandra Corveloni (“Linha de passe“)

Melhor Ator: Benicio del Toro (“Che”)

Melhor Diretor: Nuri Bilge Ceylan (“Üç Maymun”)

Melhor Roteiro: Jean-Pierre e Luc Dardenne (“O silêncio de Lorna“)

Palma de Ouro para Curta-metragem: “Megatron”, Marian Crisan

Menção especial para Curta-metragem: “Jerrycan”, Julius Avery

Câmera de Ouro: “Hunger”, Steve McQueen

Menção especial: “Ils mourront tous sauf moi”, Valeria Gaï Guermanika

Prêmio especial do 61º Festival de Cannes: Catherine Deneuve (“Um Conto de Natal”) e Clint Eastwood (“A Troca“)

Mostra Un Certain Regard

Un Certain Regard: “Tulpan”, Sergey Dvortsevoy e “Wolke 9”, Andreas Dresen

Prêmio Hope: “Johnny mad dog”, Jean-Stéphane Sauvaire

Prêmio Knockout: “Tyson”, James Toback

Prêmio do Júri: “Tokyo sonata”, Kiyoshi Kurosawa

Cinéfondation (Média Metragem)

Primeiro prêmio: “Himnon”, Elad Keidan

Segundo prêmio: “Forbach”, Claire Burger

Terceiro prêmio: “Stop”, Jae-Ok Park, e “Kestomerkitsijät”, Juho Kuosmanen

Semana da Crítica (Jornalistas)

Grande Prêmio da Semana da Crítica: “Snijeg”, Aida Begic

Prêmio da SACD (Sociedade dos Autores Compositores Dramáticos): “Moscow Belgium”, Christophe Van Rompaey

Grande Prêmio Canal+: “Next floor”, Denis Villeneuve

Prêmio OFAJ/TV5LIMPE da (Toute) Jeune Critique: “La sangre brota”, Pablo Fendrik

Quinzena dos Realizadores (Independentes)

Prêmio Un Regard Neuf: “Muro”, Tião (Bruno Bezerra)

Prêmio Regard Jeunes: “Eldorado”, Bouli Lanners

Prêmio da CICAE: “Blind Loves”, de Juraj Lehotsky

Prêmio SACD: “Les Bureaux de Dieu”, de Claire Simon

Fonte: G1

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

Um Comentário

  1. Oi, gente!

    Que saudade de todos! Estou voltando hoje para a nossa terrinha depois de uma temporada ótima e gelada em terras portenhas.

    Claro que dei uma pausa no blog, né? Era muita coisa para ver e fazer. Mas também fui aos cinemas, então logo, logo mais comentários por aqui.

    Johnny, também sempre fico de olho neste festival, é muito mais confiável do que o famoso Oscar em termos de qualidade cinematográfica.

    Robson, eu também achei muito interessante, mas imagine quantos não existem por aí que nunca tiveram esta oportunidade que ela teve…

    Pablo, concordo com você! É no teatro que está a maior força das interpretações brasileiras. A maioria dos grandes nomes do cinema vem direto dos palcos nacionais, com raras excessões, é claro!

    Gustavo, é mesmo muito bom. Eles merecem, ainda mais por trabalharem em um lugar onde a cultura não está nos primeiros lugares.

    Ygor, muito obrigada! Acho que Cannes já foi melhor, mas ainda é um dos grandes festivais do cinema.

    Rê, obrigada pelo mimo… Você sempre lembrando de mim, né?

    Pedro Henrique, já que ia dar a Jolie, por que não de olhos bem abertos para apreciar a beleza? hehehe. Estou ansiosa para conferir a performance da Sandra.

    Marcel, bem lembrado. Todo mundo só anda falando da Sandra, mas o Tião (ou Bruno) também está de parabéns, né? Eu também não esperava o resultado.

    Miriam, isso aumentou muito a minha curiosidade para conferir o filme. Vamos ver, né?

    Jacques, coitada da Cartaxo. Acho que o problema dela foi mais por inadequação com o mercado de beldades do que por incompetência da atriz. 16060 é uma boa prova disso. Quanto a Blindness, parece que é um filme difícil, não? Uns amam e outros odeiam. Estou curiosa.

    Marcus, também fiquei muito feliz com a premiação. Nosso cinema merece.

    Hugo, adorei o convite e já estou aqui pensando na frase. Logo, logo, posto por aqui.

    Ibertson, eu também fiquei muito feliz por ela e, como já disse antes, estou curiosíssima para ver o filme.

    Beijocas a todos!

  2. Belas premiações nesse festival tão badalado.
    Fiquei feliz pela Sandra.

  3. Cecília,

    No meu blog tem um convite para você participar de um desafio interessante.

    Bjos

  4. Agora é esperar que esses filmes cheguem aqui no país o que normalmente demora. Boa surpresa essa da Corveloni, bom ver o país nos premiados, hehe.

    Bjos!

  5. Cecília, esperemos que não tenhamos uma nova Cartaxo, cuja carreira cinematográfica teve vida curta. Não me parece ser o caso, pois Corveloni já possui raízes fortes no teatro, sendo, além de atriz, diretora do grupo Tapa. No caso do filme brasileiro, Blindness, que saiu com as mãos abanando, esperemos que tenha boa carreira na América, onde teve boas críticas, ao contrário da Europa. Abcs

  6. Realmente fiquei admirada pelo fato de uma brasileira em um papel secundário ganhar da Angelina Jolie.
    Beijos

  7. rEALEMNTE ACHO CANNES UM REAL TERMOMETRO DO CINEMA…
    AH VCS ESTÃO LINKADO NO MOVIMENTO ABRAÇOS

  8. muito surpreso com a conquista da brasileira, como todos, eu acho que ninguém esperava. mas enfim, fiquei muito feliz, e também com o Bruno, ou Tião.. =D

  9. Eu fechava os olhos e dava o prêmio para a Angelina Jolie, mas fiquei feliz pela Sandra.

    Abraço!

  10. Sem dúvida nossos representantes cinematográficos impressionaram os jurados e fizeram bonito. Nós temos grandes artistas, e é sempre bom ter isso reconhecido, seja aqui ou internacionalmente.

    Cumps.

  11. Fiquei muito satisfeito com o resultado de Cannes! A brasileira premiada é a melhor surpresa, certamente… Estou confiante de que com o apoio e divulgação necessários, poderemos ter Sandra como a estrangeira do ano no Oscar de Melhor Atriz.

  12. um fato que me deixou no mínimo curioso em relação a Sandra, foi ela nunca ter feito um longa nem tampouco ter feito TV, num país onde as novelas dominam sempre. Muito bom, estou curioso pra ver Linha de Passe.

  13. Assim, encaro Cannes como indicador de bons filmes, não fico torcendo, porém acompanho repercusões … agora vamos ver quando chegar nos cinemas se eles realmente merecem o mesmo reconhecimento que aconteceu na bela cidade francesa …

Botão Voltar ao topo