Crítica | Streaming

Super-Herói – O Filme

Visto em DVD(Superhero Movie, EUA, 2008)

Comédia

Direção: Craig Mazin

Elenco: Drake Bell, Sara Paxton, Christopher McDonald, Leslie Nielsen, Kevin Hart, Marion Ross, Ryan Hansen, Keith David, Robert Hays

Roteiro: Craig Mazin

Duração: 75 min.

Minha nota: 5/10

Antes de encarar as pedreiras do próximo ano, já que a maioria dos lançamentos são dramas pesados, nada melhor do que uma longa sessão de comédias. Claro que a preferência é pelas mais inteligentes, mas depois de Colegiais em Apuros, qualquer uma é superior.

Foi nesse clima que resolvi conferir o bobo e exagerado Super-Herói – O Filme. Depois de só ouvir falar mal, já estava preparada para o pior e, talvez por isso, não achei tão ruim assim.

Na linha de Todo Mundo em Pânico, Corra que a Polícia Vem Aí e similares, o filme parodia o mega-sucesso Homem-Aranha e ainda faz várias referências a outros nomes famosos do mundo heroico, como Wolverine, Mulher-Invisível e Tempestade.

Claro que o roteiro está mais preocupado em fazer rir do que em fazer sentido e muitas vezes apela para conseguir seu objetivo. Acontece que, em meio a tanta bobagem, quem assiste ao filme se diverte com a sessão de piadas bobas e situações apasteladas.

No elenco alguns nomes conhecidos e uma dobradinha que atuou em um dos melhores besteirois do cinema, Apertem os Cintos: o Piloto Sumiu…: Robert Hays e Leslie Nielsen.

Muita bobagem, pouca história e muitas gargalhadas. Um bom programa para dias amenos.

Claro que não adianta assistir esperando grandes coisas. Pessoas que não gostam de comédias do gênero devem mater uma distância segura.

Ps.: Não confundir com Super-Heróis – A Liga da Injustiça, lançado no mesmo ano e que hoje ocupa o segundo lugar na lista dos piores filmes da história, perdendo somente para Sweetie Pie.

Um Grande Momento

Tom Cruise.



Links

Site Oficial

Imdb

 

 

 

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

Um Comentário

  1. Oiee!!

    É melhor manter distância mesmo, Robson, a não ser que queira passar raiva… Hehehe.

    Eu penso como você, M. Existem momentos e momentos. As épocas pelas quais passamos influenciam diretamente naquilo que vemos. É um festival de abobrinhas mas é melhor do que todas as últimas porcarias do gênero e, como você disse, diverte!

    Beijocas

  2. Ah, é desses filmes que não dá para fazer apreciação crítica alguma. te acho ele ótimo para rir. E quanto isso, ele funciona muito bem, mesmo com o festival de abobrinahs apresentado! Um abraço e ótimo fim de semana.

  3. Nao tem nem perigo de assistir. De filmes assim eu seeeempre quero distância…

  4. Oi gente!!

    Kau – Eu sei muito bem o que é isso. Também não sou a maior fã. Mas estava precisando rir de bobagens no dia que vi e ele serviu direitinho.
    Deu a Louca em Hollywood é péssimo!

    Wally – Eu ri muito no momento Tom Cruise, mas ri também no prego na mão, na cena que parodia o beijo e em algumas outras. Era o que eu estava precisando na hora, sabe como é?

    Sérgio – Concordo com você. É muito idiota mesmo e eu costumo fugir de títulos assim… Mas voltando aos tempos de Corra Que a Polícia Vem Aí e Apertem os Cintos, serviu para me fazer parar de pensar um pouco.

    Beijocas para vocês!

  5. Tenho horror com essas comédias… acho ridículas… sei lah… eh um humor tão idiota e às vezes preconceituoso…

    ateh mais!

  6. Confesso ter rido no momento Tom Cruise, mas de resto, acho este filme uma tragédia.

    Nota 3,5

    Ciao!

  7. Cecília, achei vergonhoso, este filme. Me irrita essas sátiras “originalíssimas”, sabe?? Entretanto, acho que nada bate o lixo ambulante chamado Deu a Louca em Hollywood.

    Beijos!

Botão Voltar ao topo