Notícias

Vem aí o FIM 2020

De 10 a 17 de novembro o cinema de mulheres ganha destaque

Vem aí a 2ª edição do FIM – Festival Internacional de Mulheres no Cinema, criado em 2018 com o objetivo de valorizar a produção cinematográfica feita e protagonizada por mulheres do Brasil e do mundo. A edição 2020 será realizada de 10 a 17 de novembro, em formato online e celebra a presença feminina e a diversidade de raças em sua programação. Dos 29 filmes brasileiros e internacionais participantes, 45% são dirigidos por mulheres brancas, 45% por pretas e pardas, 7% por indígenas e 3% por amarelas.

“Reunindo filmes dirigidos por mulheres, de diversos formatos e gêneros, o Festival apresenta como possível a realidade que quer ver expressa na sociedade e na indústria cinematográfica: representatividade de mulheres em tela e diversidade étnicorracial”, afirma, Minom Pinho, diretora do FIM.

Serão exibidos gratuitamente 19 longas, dois médias e oito curtas-metragens que estão divididos nas Mostra Competitiva Nacional, Mostra Internacional, os programas especiais “Lute como uma Mulher” e “Todas as Mulheres do Mundo – Curta Kinoforum”, além de sessões de tributos a grandes mulheres do cinema e da cultura. A grade da programação estará disponível no site do evento e os filmes poderão ser visto pela plataforma innsaei.tv.

A Mostra Competitiva Nacional apresenta sete longas-metragens dirigidos ou codirigidos por mulheres, que foram selecionados em meio a mais de 57 inscritos de 10 estados brasileiros. Os filmes são: A Mulher da Luz Própria, de Sinai Sganzerla; Aos Olhos de Ernesto, de Ana Luiza Azevedo; Até o Fim, de Glenda Nicácio e Ary Rosa; Hilda Hilst Pede Contato, de Gabriela Greeb; Meio Irmão, de Eliane Coster; Meu Sangue é Vermelho, de Graciela Guarani e Tiago Dezan; e Um dia com Jerusa, de Viviane Ferreira. Caberá ao público eleger o vencedor que receberá um prêmio de R$ 5 mil, destinado à sua diretora. A mostra também será analisada pelo júri da crítica, formado por integrantes das Elviras – Coletivo das Mulheres Críticas de Cinema Juliana Melo, Cecilia Barroso e Raquel Gomes.

FIM: Grace Passô
Grace Passô é uma das homenageadas do FIM20

A Mostra Internacional do FIM apresenta um conjunto de cinco filmes recentes, documentários e ficções, realizados por diretoras latinas da Argentina, Chile e Espanha e diretoras negras dos EUA e França, que compartilham conosco suas histórias, reflexões e visões de mundo.

A programação conta ainda com homenagem a Grace Passô. Aos 40 anos, a mineira radicada em São Paulo coleciona prêmios, não somente no teatro, onde começou sua carreira polivalente, como também no cinema, representando a força da mulher negra e o futuro das artes no Brasil. Suas múltiplas expressões poderão ser vistas nas obras selecionadas para o Festival. O média-metragem Vaga Carne, no qual atua e dirige – em parceria com Ricardo Alves Jr. –, é uma adaptação do monólogo escrito, dirigido e interpretado por ela nos palcos, encarnando diversas vozes que “se apossam” de seu corpo e colocam em xeque os preconceitos identitários de nossa sociedade. A mostra temática traz ainda o inédito República (2020), criado, dirigido e interpretado por ela em sua própria casa, durante a pandemia Covid-19, e o curta Sem Asas (2019), de Renata Martins.

FIM: 35 Doses de Rum, de Claire Denis
35 Doses de Rum, de Claire Denis

Nascida em Paris, criada em Camarões e com familiares brasileiros, Claire Denis é uma cineasta fundamental para o cenário da sétima arte nos últimos 30 anos. Ela também é homenageada no FIM20, onde irá ministrar uma masterclass mediada pelo educador e especialista Robert Milazzo da Modern School of Film de Nova York e produzida especialmente para o Festival. Diretamente de sua casa, a cineasta fala de seu cotidiano, dos desafios humanos e sociais trazidos pela pandemia da Covid-19, de sua infância em Camarões e das suas origens brasileiras, com ascendentes do estado do Pará. Envereda ainda pela sua obra, destacando a relação com atores, o financiamento de suas produções, as escolhas de temas e curiosidades sobre seus filmes memoráveis.

A 2ª edição do FIM faz um tributo a essa trajetória, exibindo duas de suas grandes obras: Deixe a Luz do Sol Entrar (2017), comédia romântica em que Juliette Binoche vive uma mulher em busca de realização no amor e na vida; e 35 Doses de Rum (2008), a história de pai e filha que vivem uma relação quase fechada ao mundo desde que perderam a esposa e mãe, com Alex Descas no elenco, ator que trabalhou em onze filmes assinados por Denis.

FIM 2020: O Livro dos Prazeres
O Livro dos Prazer, de Marcela Lordy

E para fechar o ciclo de homenagens desta edição, O FIM20 celebra o centenário de nascimento da escritora ucraniana, naturalizada brasileira, Clarice Lispector (1920 – 1977). Dois filmes baseados em sua obra e realizados por cineastas mulheres foram escolhidos para abrir e fechar o Festival: o premiado A Hora da Estrela (Brasil, 1985), de Suzana Amaral, e o inédito O Livro dos Prazeres (Brasil| Argentina, 2020), de Marcela Lordy, respectivamente.

O FIM20 é uma realização da Casa Redonda e correalização do Sesc São Paulo, em parceria com a Associação Cultural Kinoforum. O Festival conta com o patrocínio do Itaú e Diageo, copatrocínio da Avon, por meio do F.A.M.A. – Fundo Avon de Mulheres no Audiovisual e apoio institucional do Instituto Diageo, Projeto Paradiso, Embaixada da França no Brasil, Grupo Mulheres no Audiovisual Brasil, + Mulheres – Lideranças do Audiovisual Brasileiro e Núcleos Criativos Latino-americanos.

Redação

O Cenas de Cinema é um veículo informal e divertido que tem como principal objetivo divulgar a sétima arte, com críticas, notícias, listas e matérias especiais
Botão Voltar ao topo