Crítica | Outras metragens

5 Estrelas

(5 Estrelas, BRA, 2020)

  • Gênero: Suspense
  • Direção: Fernando Sanches
  • Roteiro: Paula Febbe, Fernando Sanches
  • Elenco: Luciana Paes, Gilda Nomacce
  • Duração: 15 minutos
  • Nota:

Fernando Sanches volta às origens com mais um curta-metragem restrito ao espaço de um carro. Se em seu segundo filme Landau 66 brincava com o sobrenatural, em 5 Estrelas circunda o universo do real, um real infelizmente bem palpável. Agora seu carro, bem mais moderno, é ocupado por uma atriz de teatro e uma motorista de Uber. Para vivê-las, o diretor duas grandes atrizes da atualidade, ambas com uma carreira que se destaca no cinema fantástico: Gilda Nomacce e Luciana Paes.

5 Estrelas traz o diretor em um lugar conhecido, que conhece e sabe como explorar muito bem, e talento de sobra nas atuações. Na construção da trama, elaborada por ele e Paula Febbe, aproxima o espectador de possibilidades cotidianas. Para começar, a motorista de Uber que não aguenta mais ouvir “olha, uma mulher” e que faz aquele tipo que gosta de trocar uma ideia. “Quer água, uma bala”, “tem gente que dá uma estrela”, “se fosse homem já vinha com gracinha”, “eu te conheço de algum lugar”. Quem nunca?

5 Estrelas (curta)

No banco de trás, mais identificações. Agora com aquele dia que a gente não quer conversa com ninguém, que está mais preocupado com a conversa no whatsapp ou com qualquer outra coisa. Quem está ali, nessa longa viagem, é Kátia, uma atriz que optou pelo teatro e que tem que encarar uma fama que vem não por sua arte, mas por um meme que circula pela internet.

O curta busca a todo momento essas diferenças, colocando dois extremos em um ambiente ultra restrito e do qual não se pode sair a qualquer momento. É preciso que aquela interação exista, mesmo que uma das partes não queira, pois a tensão é estabelecida justamente pelo estranhamento, ressaltado pelo jogo de luz e ângulos e pelas posturas físicas de Paes e Nomacce.

Se num primeiro momento o medo não está tão claro, Sanches transforma o ambiente para alcançar o elemento. Embora mude as possibilidades espaciais, ainda mantém as personagens confinadas, pelas condições do novo lugar onde se encontram. É quando Kátia finalmente deixa o celular e olha para sua motorista de verdade, conhecendo um pouco mais sobre ela e encontrando aquilo que não procurava.

5 Estrelas mistura elementos muito próximos da realidade, como violência, celulares, aplicativos, memes e selfies. Com eles, entrega uma história interessante, sobre essas relações vazias e distanciadas do cotidiano, onde há pouca identificação e empatia mesmo que todas – a definição de gênero é importante aqui – estejamos expostas aos mesmos perigos. Se há um porém, é o gancho no final, o curta poderia ser melhor arrematado.

Um grande momento
A conversa sobre a novela 7 Pecadoras.

[10º Cinefantasy]

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.
Botão Voltar ao topo