Crítica | Streaming

Natal com Você

Obviedade preguiçosa

(Christmas with You, EUA, 2022)
Nota  
  • Gênero: Comédia
  • Direção: Gabriela Tagliavini
  • Roteiro: Paco Farias, Jennifer C. Stetson, German Michael Torres, Michael Varrati
  • Elenco: Aimee Garcia, Freddie Prinze Jr., Deja Monique Cruz, Gabriel Sloyer, Socorro Santiago, Zenzi Williams, Grace Dumdaw, Nicolette Stephanie Templier
  • Duração: 89 minutos

Perdidos nesse universo fílmico natalino que não para de crescer, acabamos de sair de O Diário de Noel, um simpático e previsível longa da Netflix que faz um esforço para fugir da previsibilidade e até consegue alguma coisa diferente do padrão, embora nada tanto assim, e já estamos diante de Natal com Você, longa que flerta com o musical dirigido por Gabriela Tagliavini com Aimee Garcia e Freddie Prinze Jr nos papéis principais. 

Contando a história de Angelina, uma cantora pop latina de meia idade com bloqueio criativo que está perdida nesse universo de influenciadores digitais e revolução TikTok, o longa faz o caminho oposto do filme irmão de plataforma. Aquele tinha consciência dos lugares-comuns e buscava achar alguma coisa para torná-lo diferente, mas este não tem o menor problema em repetir velhas fórmulas à exaustão e ser o mais genérico possível.

Natal com Você
Jessica Kourkounis/Netflix

Se existe alguma coisa de diferente é a cara de tristeza e desolação constante da protagonista, algo que chega até a ser cômico. Segue um clipe cheio de estilo, muitas selfies, provas de roupa e… corta para o rosto de Angelina desconsolada. Um diálogo tumultuado com o namorado de aparências, o ator canastrão Ricardo (Gabriel Sloyer), e o desabafo com a amiga e empresária Monique (Zenzi Williams), e… corta para o rosto de Angelina arrasada. Isso durante todo o longa. Para quê? Para mostrar como ela muda depois que conhece Miguel e Cristina. Errrr… Não, né?

Apoie o Cenas

Natal com você é todo assim formulaico. Seu problema não é apenas ser óbvio, porque a obviedade é uma praxe nos filmes verde-vermelhos e estamos aí assistindo um após o outro sem grandes questionamentos ano após ano; seu problema é ser preguiçoso. Quase tudo no longa parece ter sido reciclado de algum lugar. Desde seus personagens até seu enredo, das reviravoltas da trama até os detalhes da mise-en-scène, não há aquele mínimo lampejo de criatividade no que se vê. Esta bem, para não dizer que isso é tão radical assim, Carisa Kelly, figurinista da refilmagem estadunidense de Boa Noite, Mamãe e Mãe x Androides, inventa um suéter – e isso é uma coisa que conta muito num filme de Natal – sensacional.

Natal com Você
Jessica Kourkounis/Netflix

Porém, o que é um casaquinho piscante de lã no meio de tanta falta de originalidade? O mesmo se pode dizer do carisma da pequena Deja Monique Cruz e sua avó Frida, e da química que surge casualmente entre a dupla principal de Garcia e Prinze Jr. Tudo é muito pouco para o que Natal com Você sugere e a Netflix iguala-se às outras produtoras que partem para comédias românticas de Natal em sequência, como Hallmark Channel e afins. São apenas séries de filmes com menos atenção ao que precisa e que não chegam de verdade a lugar nenhum. Estão ali, são vistas e esquecidas com a mesma velocidade. 

Um grande momento
Andando na neve.

Cecilia Barroso

Cecilia Barroso é jornalista cultural e crítica de cinema. Mãe do Digo e da Dani, essa tricolor das Laranjeiras convive desde muito cedo com a sétima arte, e tem influências, familiares ou não, dos mais diversos gêneros e escolas. Faz parte da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema e das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.
Assinar
Notificar
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver comentário
Botão Voltar ao topo