Festival de BrasíliaNotícias

Vencedores do 52º Festival de Brasília

Aconteceu ontem (30), a cerimônia de premiação do 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Em uma noite marcada por protestos contra eventos bizarros durante a edição, foi possível perceber a irregularidade da seleção, com poucos títulos premiados diversas vezes.

Entre eles, o maior destaque foi para o longa-metragem de Maya Da-Rin, A Febre, que levou cinco candangos para casa, entre eles os de melhor filme, direção e ator. Outro destaque foi o longa Alice Júnior, dirigido por Gil Barone.

Confira a lista completa de premiados:

Mostra Competitiva – Longa-metragem

MELHOR SOM
A Febre, por Felippe Schultz Mussel, Breno Furtado, Emmanuel Croset 

MELHOR TRILHA SONORA
Alice Júnior, por Vinicius Nisi

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
Piedade, por Carla Sarmento

MELHOR MONTAGEM
Alice Júnior, por Pedro Giongo

MELHOR FOTOGRAFIA
A Febre, por Bárbara Alvarez

MELHOR ROTEIRO
O Tempo que Resta, por Thaís Borges

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Cauã Reymond, em Piedade

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Thais Schier, em Alice Júnior

MELHOR ATOR
Régis Myrupu, em A Febre

MELHOR ATRIZ
Anne Celestino, em Alice Júnior

MELHOR DIREÇÃO LONGA METRAGEM
Maya Da-Rin, por A Febre

MELHOR LONGA METRAGEM JÚRI POPULAR
O tempo que resta, de Thaís Borges

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI – LONGA-METRAGEM
Claudio Assis, por Piedade

MELHOR LONGA METRAGEM

PRÊMIO SARUÊ – CORREIO BRAZILIENSE

Escola sem sentido, filme de Thiago Foresti

PRÊMIO ABRACCINE – MELHOR FILME LONGA METRAGEM COMPETITIVA

O tempo que resta, filme de Thaís Borges 

MENÇÃO HONROSA
Boca de ouro, de Daniel Filho
Um filme de verão, de Jo Serfaty

Mostra Competitiva – Curta-metragem

MELHOR SOM
Guma Farias e Bernardo Gebara, por A nave de Mané Socó

MELHOR TRILHA SONORA
Vivian Caccuri, por Alfazema, filme de Sabrina Fidalgo

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
Isabelle Bittencourt, por Parabéns a você

MELHOR MONTAGEM
André Sampaio, por A nave de Mané Socó

MELHOR FOTOGRAFIA
João Castelo Branco, por Parabéns a você

MELHOR ROTEIRO
Carne, de Camila Kater e Ana Julia Carvalheiro

MELHOR ATOR
Severino Dadá, por A nave de Mané Socó

MELHOR ATRIZ
Teuda Bara, por Angela

MELHOR DIREÇÃO CURTA METRAGEM
Sabrina Fidalgo, por Alfazema

JÚRI POPULAR
A Carne, filme de Camila Kater 

MELHOR CURTA METRAGEM
Rã, de Júlia Zakia e Ana Flavia Cavalcanti

PRÊMIO MARCO ANTÔNIO GUIMARÃES
Chico Mendes, um Legado a Defender, de João Inácio

PRÊMIO CANAL BRASIL
Sangro, de Tiago Minamisawa e Bruno H. Castro

PRÊMIO ABRACCINE
A Carne, de Camila Kater

MENÇÃO HONROSA
Ary y yo, de Adriana de Farias

Mostra Brasília BRB 

MELHOR DIREÇÃO
Adriana Vasconcelos, por Mãe

MELHOR CURTA METRAGEM JÚRI POPULAR
Escola sem sentido, filme de Thiago Foresti

MELHOR LONGA METRAGEM JURI POPULAR
Dulcina, filme de Glória Teixeira

MELHOR CURTA METRAGEM
Escola sem sentido, filme de Thiago Foresti 

MELHOR LONGA METRAGEM
Dulcina, filme de Glória Teixeira 

MELHOR EDIÇÃO DE SOM
Laurent Mis, por Mito e música – a mensagem de Fernando Pessoa

MELHOR TRILHA SONORA
André Luiz Oliveira, por Mito e música a mensagem de Fernando Pessoa

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
Ursula Ramos e Demétrios Pina, por Dulcina

MELHOR MONTAGEM
Marcius Barbieri, por Ainda temos a imensidão da noite

MELHOR FOTOGRAFIA
André Carvalheira, por Ainda temos a imensidão da noite

MELHOR ROTEIRO
Mito e música – a mensagem de Fernando Pessoa, de Rama de Oliveira

MELHOR ATOR
Wellington Abreu, por Escola sem sentido 

MELHOR ATRIZ
Bido Galvão, Carmem Moretzsohn, Iara Pietricovsky, Theresa Amayo, Glória Teixeira e Françoise Fourton, por Dulcina

Redação

O Cenas de Cinema é um veículo informal e divertido que tem como principal objetivo divulgar a sétima arte, com críticas, notícias, listas e matérias especiais
Botão Voltar ao topo
Fechar