Crítica | StreamingMostra SP

Dois Papas

(The Two Popes, GBR/ITA/ARG/EUA, 2019)
Comédia
Direção: Fernando Meirelles
Elenco: Jonathan Pryce, Anthony Hopkins, Juan Minujín, Sidney Cole, Thomas D Williams, Federico Torre
Roteiro: Anthony McCarten
Duração: 125 min.
Nota: 9 ★★★★★★★★★☆

Chico gosta de Abba, cantarolando por aí a seminal “Dancing Queen”. Já Bento prefere a delicadeza de “Blackbird”, canção composta por Paul McCartney na época dos Beatles. O duelo de pensamentos – e atuações incríveis de Jonathan Pryce e de Sir Anthony Hopkins, respectivamente – dão o tom da comédia dramática eclesiástica Dois Papas.

O brasileiro Fernando Meirelles acerta como há muito tempo não fazia, conduzindo uma história deliciosa que soa como uma propaganda da Igreja Católica Apostólica Romana, mas que veramente é sobre o embate entre o arcaico e o moderno, o conservador e o progressista, a Europa e a América, com toda a carga de culpa e de pecados que assombram os dois homens religiosos.

O que se vê é um papa Bento 16 cansado e desesperançoso. Os fiéis debandaram e os padres seguem abusando de crianças, mas a igreja volta sua atenção para perseguir as minorias. Minorias estas que se recolhem no abraço acalentador de Jorge Bergoglio, o arcebispo de Buenos Aires apaixonado por futebol e pelo povo – mesmo que tenha, durante a ditadura, agido contra o próprio com a desculpa de proteger sua ordem, os jesuítas.

Para além da maestria da produção, que percorre todos os meandros do poder papal pelos corredores e passagens secretas do Vaticano, e retrata as eleições de papas e as intrigas quase palacianas para se sustentar a influência da igreja enquanto instituição, é especialmente nos diálogos do engenhoso roteiro de Anthony McCarten (dos medianos Destino de Uma Nação e A Teoria de Tudo) que reside a alma dessa história de homens em conflito que encontram na improvável amizade um apoio irrefutável que os guiará para desempenhar o papel que lhes cabe. Pois é na real mudança de mentalidade e não na concessão que a Igreja pode reencontrar o seu rebanho e se tornar relevante de fato em um mundo tão alquebrado de fé.

E o que é a fotografia tão acolhedora de Cesar Charlone (responsável pelo ótimo O Banheiro do Papa) e o castelhano impecável do papa Francisco ou melhor, do britânico Pryce? Com distribuição da Netflix, Dois Papas estará disponível na plataforma no dia 20 de dezembro.

Um Grande Momento:
A conversa no banheiro, Francisco cantarola dancing Queen

Links

IMDb

[43ª Mostra de São Paulo]

Lorenna Montenegro

Lorenna Montenegro é crítica de cinema, roteirista, jornalista cultural e produtora de conteúdo. É uma Elvira, o Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema e membro da Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA). Cursou Produção Audiovisual e ministra oficinas e cursos sobre crítica, história e estética do cinema.
Botão Voltar ao topo