Mais um ano se passa e mais uma vez os olhos se voltam para a mais glamourosa e midiática premiação do cinema: o Oscar. Entregue pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos, o prêmio está agora em sua 91ª edição e, diferente dos indícios de ousadia presentes nas indicações, não conseguiu ficar longe do tradicional.

O maior prêmio da noite foi entregue a Green Book: O Guia, um feel good movie que contraria escolhas da própria cerimônia, como as de melhor figurino, desenho de produção e, até, melhor roteiro adaptado, finalmente fazendo justiça a Spike Lee. Enquanto o filme deste, Infiltrado na Klan, escacara e bate de frente, aquele é uma fabulazinha de Natal equivocada pouco diferente daquelas muitas disponível no catálogo de fim de ano da Netflix.

E não foi apenas esta a estatueta do filme, também premiado em roteiro original e ator coadjuvante pela interpretação de Mahershala Ali que, ao lado de Viggo Mortensen eram as únicas possibilidades dentro do filme que mereciam algo na noite. A todos aqueles que estão descobrindo Peter Farrelly agora e querendo forçosamente validar uma certa qualidade, nada como alguns anos para que a escolha entre na lista de vergonhas do Oscar. É aguardar para ver.

Roma, de Alfonso Cuarón

O preço do lobby

Parece que o lobby da gigante de streaming Netflix para ter o seu primeiro Oscar de melhor filme com Roma não encontrou os frutos que esperava, embora tenha abocanhada umas boas estatuetas com melhor direção, fotografia e filme estrangeiro. Premiado por onde passasse, o filme do diretor mexicano Alfonso Cuarón não conseguiu superar o estranhamento com a ideia de novas janelas de exibição. E talvez essa reação tenha sido a principal motivação para Green Book ter chegado onde chegou.

Ainda assim, o fato de ter emplacado dois de seus principais filmes do ano passado, Roma e A Balada de Buster Scruggs, já mostra que existe um caminho que não pode ser ignorado. E isso estava por toda a cerimônia, inclusive em seus intervalos, com o trailer do novo filme de Martin Scorsese, The Irishman, lançado também pela Netflix.

Pantera Negra, de Ryan Coogler

A força da Marvel

Pantera Negra, o maior sucesso da Marvel em anos na cerimônia, trouxe o afrofuturismo às telas e teve o seu reconhecimento. Sua construção estética de Wakanda arrebatou os prêmios de figurino e desenho de produção, além de também levar a estatueta pela trilha sonora criada pelo sueco Ludwig Göransson.

Entre os filmes de heróis do estúdio, O Homem-Aranha e o Aranhaverso alcançou um novo lugar ao desbancar Pixar, Disney, Gibli e até o stop-motion de Wes Anderson com sua história de origem em multiverso com linguagem inusitada, ousada e divertida.

Nasce uma Estrela, de Bradley Cooper

Músicas que se anulam

Entre as movimentações inesperadas da temporada, está o filme Nasce uma Estrela. Correto e competente dentro de suas limitações, a estreia de Bradley Cooper na direção tinha tudo para ser um dos grandes destaques da temporada e com grande potencial para premiações como o Oscar. Acontece que veio perdendo a força até restringir-se à canção original: a grudenta “Shallow”, lindamente interpretada por Cooper e Lady Gaga na cerimônia.

Em uma análise apressada, é como se um outro filme musical (que igualmente nega o gênero) tivesse tomado o seu lugar. Bohemian Rhapsody, longa sobre a banda Queen e o icônico Freddie Mercury, encontra toda a sua força nas já conhecidas canções do grupo e na força da atuação de Rami Malek, mas, além de problemas graves de constituição, é inferior em muitos quesitos. Ainda assim, foi ele, e não Nasce uma Estrela que levou o prêmio de ator e mixagem de som. Edição de som e montagem também entraram no pacote.

Green Book, de Peter Farrelly

Uma noite corrida

Diferente das cerimônias anteriores e claramente preocupada com a perda progressiva de audiência, a Academia optou por um evento mais célere, com interrupções nas premiações apenas para anunciar os indicados a melhor filme, as apresentações das indicadas a melhor canção e o momento em homenagem aos falecidos no ano anterior. Até mesmo o momento institucional foi bastante reduzido e destinado à apresentação do museu.

A ideia era que fosse menor ainda, com prêmios entregues nos intervalos, entre eles os de melhor fotografia e montagem, e a apresentação de apenas algumas das músicas. Ambas as ideias foram rechaçadas e a Academia teve que voltar atrás. Todos os prêmios foram entregues e todas as canções tiveram o seu espaço.

Houve bons momentos, como o merecido prêmio para Spike Lee ou a surpresa de ver Olivia Colman no palco, mas o gosto que ficou após a cerimônia foi amargo.

Ao premiar aqueles que não são necessariamente os melhores, o que se viu na noite de hoje em momento algum vai contra aquilo que se espera da Academia. Seja na contradição do prêmio principal ou no refugo após inovar na lista de indicados, a noite seguiu o seu ritmo. Sempre deixando uma impressão de que as coisas só avançam até onde eles estabelecem que elas podem avançar.

Confira a lista completa de premiados:

Melhor Filme
Green Book: O Guia
Outros indicados
Pantera Negra
Infiltrado na Klan
Bohemian Rhapsody
A Favorita
Roma
Nasce uma Estrela
Vice 

Melhor Direção
Roma, de Alfonso Cuarón
Outros indicados
Infiltrado na Klan, de Spike Lee
Guerra Fria, de Pawel Pawlikowski
A Favorita, de Yorgos Lanthimos
Vice , de Adam McKay

Melhor Atriz
Olivia Colman, por A Favorita
Outras indicadas
Glenn Close, por A Esposa
Yalitza Aparicio, por Roma
Lady Gaga, por Nasce uma Estrela
Melissa McCarthy, por Poderia Me Perdoar?

Acompanhe a premiação a medida em que ela vai acontecendo:

Melhor Ator
Rami Malek, por Bohemian Rhapsody
Outros indicados
Christian Bale, por Vice 
Bradley Cooper, por Nasce uma Estrela
Willem Dafoe, por No Portal da Eternidade
Viggo Mortensen, por Green Book: O Guia

Melhor Atriz Coadjuvante
Regina King, por Se a Rua Beale Falasse
Outras indicadas
Marina de Tavira, por Roma
Emma Stone, por A Favorita
Rachel Weiz, por A Favorita
Amy Adams, por Vice

Melhor Ator Coadjuvante
Mahershala Ali, por Green Book: O Guia
Outros indicados
Adam Driver, por Infiltrado na Klan
Sam Elliott, por Nasce uma Estrela
Richard E. Grant, por Poderia Me Perdoar?
Sam Rockwell, por Vice

Melhor Roteiro Original
Green Book: O Guia, de Nick Vallelonga, Brian Hayes Currie e Peter Farrelly
Outros indicados
A Favorita, de Deborah Davis e Tony McNamara
First Reformed, de Paul Schrader
Roma, de Alfonso Cuarón
Vice, de Adam McKay

Melhor Roteiro Adaptado
Infiltrado na Klan, de Charlie Wachtel, David Rabinowitz, Kevin Willmott e Spike Lee
Outros indicados
A Balada de Buster Scruggs, de Ethan Coen e Joel Coen
Poderia Me Perdoar?, de Nicole Holofcener e Jeff Whitty
Se a Rua Beale Falasse, de Barry Jenkins
Nasce uma Estrela, de Eric Roth, Bradley Cooper e Will Fetters

Melhor Fotografia
Roma, de Alfonso Cuarón
Outros indicados
Guerra Fria, de Lukasz Zal
A Favorita, de Robbie Ryan
Nunca Deixe de Lembrar
Nasce uma Estrela, de Matthew Libatique

Melhor Desenho de Produção
Pantera Negra, Hannah Beachler
Outros indicados
Infiltrado na Klan, de Curt Beech
A Favorita, de Fiona Crombie
O Primeiro Homem, de Nathan CrowleyO Retorno de Mary Poppins
Roma, de Eugenio Caballero

Melhor Maquiagem
Vice
Outros indicados
Border
Duas Rainhas

Melhor Figurino
Pantera Negra, de Ruth E. Carter
Outros indicados
A Balada de Buster Scruggs, de Mary Zophres
A Favorita, de Sandy Powell
O Retorno de Mary Poppins, de Sandy Powell
Duas Rainhas, de Alexandra Byrne

Melhor Montagem
Bohemian Rhapsody, John Ottman
Outros indicados
Infiltrado na Klan, de Barry Alexander Brown
A Favorita, de Yorgos Mavropsaridis
Green Book: O Guia, de Patrick J. Don Vito
Vice, de Hank Corwin

Melhor Edição Som
Bohemian Rhapsody
Outros indicados
Pantera Negra
O Primeiro Homem
Um Lugar Silencioso
Roma

Melhor Mixagem de Som
Bohemian Rhapsody
Outros indicados
Pantera Negra
O Primeiro Homem
Roma
Nasce uma Estrela

Melhor Efeitos Visuais
O Primeiro Homem
Outros indicados
Vingadores: Guerra Infinita
Christopher Robin: Um Reencontro Inesquecível
Jogador nº 1
Hans Solo: Uma História Star Wars 

Melhor Trilha Musical Original
Pantera Negra, de Ludwig Göransson
Outros indicados
Infiltrado na Klan, de Terence Blanchard
Se a Rua Beale Falasse, de Nicholas Britell
Ilha dos Cachorros, de Alexandre Desplat
O Retorno de Mary Poppins, de Marc Shaiman

Melhor Canção Original
“Shallow”, de Nasce uma Estrela
Outros indicados
“When A Cowboy Trades His Spurs For Wings”, de A Balada de Buster Scruggs
“All The Stars”, de Pantera Negra
“I’ll Fight”, de RBG
“The Place Where Lost Things Go”, de O Retorno de Mary Poppins

Melhor Filme Estrangeiro
Roma (México)
Outros indicados
Cafarnaum (Líbano)
Guerra Fria (Polônia)
Nunca Deixe de Lembrar (Alemanha)
Assunto de Família (Japão)

Melhor Documentário
Free Solo
Outros indicados
Hale Country This Morning, This Evening
Minding the Gap
Kinder des Kalifats
RGB

Melhor Animação
Homem-Aranha no Aranhaverso
Outros indicados
Os Incríveis 2
Ilha dos Cachorros
Mirai
WiFi Ralf: Quebrando a Internet

Melhor Curta em Live-action
Skin
Outros indicados
Detainment
Fauve
Marguerite
Mother

Melhor Curta Documentário
Period. End of Sentence.
Outros indicados
Black Sheep
End Game
Lifeboat
A Night at the Garder

Melhor Curta de Animação
Bao
Outros indicados
Animal Behavior
Late Afternoon
One Small Step
Weekends